Logo R7.com
Logo do PlayPlus
RPet
Publicidade

Gato-de-bengala: saiba variações e como cuidar dos felinos dessa raça

Especialistas contam sobre a origem, hábitos e detalham cuidados importantes que os tutores devem ter com esses bichanos

RPet|André Barbeiro*, do R7

O gato-de-bengala vem da cruza entre um gato doméstico e um leopardo asiático
O gato-de-bengala vem da cruza entre um gato doméstico e um leopardo asiático O gato-de-bengala vem da cruza entre um gato doméstico e um leopardo asiático

O gato-de-bengala, ou gato bengal, é uma das raças de felinos com maior número de adoções, segundo o PetCenso 2023. Os tons de seus pelos entregam, sem dificuldade, que é fruto da cruza entre um gato doméstico e um leopardo asiático. Para entender os padrões da pelagem, a origem e os principais cuidados a serem tomados com esses animais, o RPet conversou com especialistas.

Fernando Lopes, adestrador e comportamentalista animal, diz que existem três variações do gato-de-bengala. "Tem o marrom, o cinza e o neve, sendo que este pode ser de três tons: o seal lynx, o seal sepia e o seal mink."

Vinícius Leandro, comportamentalista animal e administrador da página Herói do Pet, complementa o colega sobre os tipos de manchas que esta raça possui, que são as circulares e as tigradas. "Muita gente acha que parecem padrões de gatos SRD (sem raça definida), mas vale lembrar que as dos bengals são bem marcadas, diferentes do que costumamos ver em outras raças", explica.

"O marrom é, com certeza, o mais popular da raça, com marcações arredondadas bem aparentes, que lembram a pelagem de uma onça", ilustra.

Publicidade

Origem e costume

Os comportamentalistas afirmam que o gato-de-bengala veio dos Estados Unidos, originário de uma "cruza seletiva" entre uma raça de gato doméstico americano (Felis catus) e o gato-leopardo asiático (Prionailurus bengalensis). Leandro conta que o tamanho varia entre 25 cm e 35 cm e o nome da raça vem, justamente, da região que o leopardo asiático habita, o Golfo de Bengala.

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Publicidade

· Compartilhe esta notícia no Telegram

"Ao contrário do que se pensa, pela origem de gatos selvagens, eles são dóceis, amáveis e interagem muito bem com pessoas e outros animais. É um felino muito amoroso e fácil de lidar", comenta Lopes.

Publicidade

O adestrador brinca que bichanos dessa raça, muitas vezes, têm um comportamento muito "canino", por gostarem de estar próximos aos tutores.

Cuidados

A alimentação dos gatos dessa raça variam de acordo com cada animal e, por isso, os especialistas indicam que os tutores prestem atenção às necessidades do seu bichano.

"Ele possui uma proteína a mais, que pode causar alergia e irritação aos seres humanos", diz especialista
"Ele possui uma proteína a mais, que pode causar alergia e irritação aos seres humanos", diz especialista "Ele possui uma proteína a mais, que pode causar alergia e irritação aos seres humanos", diz especialista

"A melhor escolha é optar por alimentos crus, já que as comidas industriais, como a ração, às vezes podem afetar o bom funcionamento do intestino e rins do animal. Até pelo fato deles não terem o costume de beber água, os tutores devem ter o cuidado de adaptar o uso de uma fonte ou oferecer comida úmida", instrui Leandro.

Além disso, o comportamentalista fala que esses são animais que gostam de muito de um ambiente "gatificado". "O bengal adora escalar árvores e se aventurar, por isso, é bom fazer esse enriquecimento ambiental para gatos, que seriam aquelas 'prateleiras' para eles subirem e brincarem."

Segundo Lopes, o gato-de-bengala não requer muitos cuidados especiais, mas alerta. "Ele possui uma proteína a mais, que pode causar alergia e irritação aos seres humanos."

Problemas genéticos

A raça possui uma saúde resistente, mas existem alguns problemas genéticos que "perseguem a raça". "A luxação no quadril e a atrofia progressiva da retina, que dificulta a visão do pet, por exemplo", conta Leandro.

Ele indica que, por conta dessas possíveis adversidades do pet, é importante manter uma rotina de cuidados. "É necessário fazer visitas frequentes ao veterinário para ficar de olho no bem-estar do animal", aconselha.

'Cônsul-gato': consulado do Japão, em Recife, 'contrata' felino

*Sob a supervisão de Thaís Sant'Anna

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.