Entretenimento Jornalista Fabiano de Abreu lança livro em Portugal

Jornalista Fabiano de Abreu lança livro em Portugal

Evento aconteceu na Biblioteca Municipal de Castelo de Paiva na sexta-feira (11)

Jornalista Fabiano de Abreu lança livro em Portugal

Fabiano de Abreu na Biblioteca Municipal de Castelo de Paiva

Fabiano de Abreu na Biblioteca Municipal de Castelo de Paiva

Jennifer de Paula/MF Assessoria

O jornalista e assessor artístico Fabiano de Abreu lançou seu livro Viver Pode Não Ser Tão Ruim, da Editora Albatroz, na sexta-feira (11). O evento aconteceu na Biblioteca Municipal de Castelo de Paiva, em Portugal.

Segundo Abreu, produzir um livro era um sonho antigo.

— Desde criança tenho o hobby de escrever poemas, poesias e frases filosóficas. Sempre fui uma pessoa muito observadora, que procurava a resposta e o porquê de tudo. Ao longo da minha vida fui aficionado por história, geografia, arqueologia, ciência e astronomia. Adoro a minha profissão de assessor de imprensa, artístico e jornalista, gosto de passar informações que sejam em prol de uma sociedade melhor. Para conquistar o grande objetivo de ser feliz precisamos estar em uma sociedade digna, de respeito, e por isso sempre escrevi frases que queria gritar para o mundo e gritei para o papel. Até que há pouco tempo alguns amigos meus do Brasil e de Portugal leram minhas frases e disseram: “Você tem que escrever um livro. Essas frases são muito boas”. Mas nunca me importei com isso. Escrevia as frases, mas muitas perdi com o tempo. Foi aí então que chegaram meus textos à Editora Albatroz, que aprovou e quis fazer o livro comigo. Recebi o convite, aceitei e tenho muito que agradecer a Editora Albatroz, que abraçou tudo isso. Falei com as pessoas que conheço em Portugal até que recebi uma ligação da Biblioteca Municipal de Castelo de Paiva. Joaquim Moreira, contador muito conhecido na região e representante da sociedade de Castelo de Paiva foi a pessoa que me convidou para lançar o livro na biblioteca. Agradeço muito a ele por isso.

O jornalista contou como foi produzir o exemplar.

— Escrevi esse livro em menos de um mês pois perdi muitos textos que anotei ao longo do tempo. Se fosse para procurar, não conseguiria pois não tenho tempo, trabalho muito. As frases nunca são iguais às que eu já escrevi, mas foram suficientes para que pessoas influentes nesse meio aprovassem.

Acesse o R7 Play e assista à programação da Record quando quiser

    Access log