Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Carnaval 2020
Publicidade

Saiba como proteger o celular para sair nos blocos de Carnaval 

Existem opções rápidas e práticas que evitam que o aparelho seja levado ou que, uma vez roubado ou esquecido, não haja prejuízo

Carnaval 2020|Mariana Morello, do R7*

São Paulo espera mais de 15 milhões de foliões
São Paulo espera mais de 15 milhões de foliões São Paulo espera mais de 15 milhões de foliões

Cerca de 15 milhões de foliões devem tomar as ruas de São Paulo neste Carnaval, ocupando a cidade com mais de 600 blocos entre o período que começou no último final de semana, se estende pelo feriadão, e só termina no dia 1º de março. A grande concentração de pessoas aumenta o risco de furtos e roubos, o que exige cuidados de quem não abre mão de levar o celular para a folia. 

Leia também: Foliões relatam como foram alvos de golpes e dizem como se prevenir

É nesta época que os usuários de aplicativos de transporte mais esquecem objetos nos carros dos motoristas parceiros. O celular ocupa o topo da lista, de acordo com levantamento do Uber. Em segundo lugar, aparece carteira, seguida de chaves e óculos. 

Mas ainda dá tempo de se proteger. Existem opções rápidas e práticas que evitam que o celular seja levado ou que, uma vez roubado ou esquecido, não haja prejuízo.

Publicidade

Seguros

Há seguradoras com opções de planos a preços acessíveis, que não possuem período de carência e podem ser cancelados depois de um mês de uso. Os polanos também permitem tanto a contratação como o cancelamento pelo próprio site ou aplicativo.

Publicidade

Leia também: Primeiro dia de Carnaval tem 125 blocos e gera 80 toneladas de lixo

Um dos serviços disponíveis sem cobrança de multas ou de franquia é o da seguradora Pier, que cobre furto simples e aceita aparelhos usados e sem nota fiscal. O serviço pode ser contratado pelo site e a aprovação normalmente acontece em instantes. Uma vez aprovado, o seguro começa a valer. O reembolso acontece, em média, em até 3 dias úteis.

Publicidade

Outra opção que prevê cobertura para roubo, furto qualificado e quebra acidental, é da seguradora Kakau. A contratação é feita online e o interessado não passa por aprovação. O contrato pode ser cancelado após um mês de uso. Os planos custam a partir de R$ 5, dependendo do modelo do aparelho. A empresa cobra franquia e só aceita aparelhos com nota fiscal.

Leia também: Desfiles de pré-Carnaval em São Paulo terminam com 413 detidos

Thiago Grandino, de 31 anos, é comissário de voo e faz uso do seguro digital. "Cheguei à empresa por meio de um anúncio no Instagram. Quando fui roubado não tive problemas com a seguradora, o que demorou foi o cancelamento do IMEI que é feito pela operadora", conta. Thiago contratou o seguro ao comprar um aparelho novo e foi roubado cinco dias depois. O comissário recebeu o reembolso quatro dias após acionar a seguradora.

Doleiras e pochetes

O perfil Loira Gelada no Instagram dá diversas dicas para aproveitar ao máximo o Carnaval com segurança e respeito. Ana Luísa Pimentel, criadora da página, é apaixonada pela folia e conta que, de tanto frequentar os blocos, começou a ficar esperta e a adotar estratégias para curtir sem sofrer danos. 

Perfil Loira Gelada no Instagram dá diversas dicas para aproveitar ao máximo a folia
Perfil Loira Gelada no Instagram dá diversas dicas para aproveitar ao máximo a folia Perfil Loira Gelada no Instagram dá diversas dicas para aproveitar ao máximo a folia

Ana Luísa reforça sobre a importância de manter "o celular e os pertences o mais próximo de você possível", uma estratégia contra as tentativas de furto simples ou qualificado. Para ela, as doleiras (aquelas bolsinhas junto ao corpo) são a opção mais segura. O folião pode guardar suas coisas e esconder a bolsinha por debaixo da roupa.

Leia também: Carnaval altera regras de estacionamento na zona oeste de SP

Outra opção são as pochetes. A pessoa curte a festa com os braços livres e de olho na bolsa, que fica na frente do corpo. Porém, como ficam para fora da roupa é bom prestar atenção e sempre manter o zíper fechado. "Para reforçar a segurança dá também para prender o zíper com durex", indica a Loira Gelada.

Outra dica é usar um lacre de pão para prender o zíper na alça das bolsas, dificultando a abertura. Existe também opções de cordões de segurança que prendem o celular ao suporte do cinto e podem ser comprados na internet. A foliã e ritmista Ludmila Maia, de 40 anos, não coloca mais o celular no bolso. "Caiu [o celular] dentro do vaso sanitário. Recuperei, mas 'ele morreu' logo em seguida", lamenta. 

Fiquei sem celular, e agora? 

O especialista em tecnologia e inovação, Arthur Igreja dá algumas dicas técnicas do que fazer antes de sair para a folia. E também em caso de perda ou roubo.

Leia também: Avanço dos blocos leva à oferta de camarotes e serviço VIP em SP

1 - É importante configurar o bloqueio de tela, seja por senha numérica, desenho, impressão digital ou reconhecimento facil (opção mais segura), e anotar o número do IMEI (que será usado para bloquear o aparelho em caso de roubo ou furto).

2- O usuário deve desinstalar aplicativos de bancos e desabilitar as senhas em perfis de redes sociais. Em caso de eventualidades, isso evita o vazamento dos dados pessoais.

3- Habilitar o aplicativo de localização que já vem com o aparelho, deixar o GPS ligado e manter a bateria carregada contribuem para rastrear o celular.

4 - Constatado o roubo ou furto e com todas as possibilidades de localização esgotadas, a indicação é bloquear definitivamente o aparelho e apagar tudo o que estava salvo nele. “Isso é possível fazer pelo perfil de usuário em uma conta Apple ou Google”, diz o especialista.

*Estagiária do Portal R7, sob a supervisão de Clarice Sá

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.