Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Atriz Ingrid Manzini lança carreira musical com “Única” e fala sobre a necessidade que temos

Canção está disponível nas principais plataformas digitais e traz um videoclipe que faz homenagem ao pop dos anos 2000

Cartão de Visita|Do R7

Canção está disponível nas principais plataformas digitais e traz um videoclipe que faz homenagem ao pop dos anos 2000

Após alguns bons anos no teatro, a atriz Ingrid Manzini estreia no mundo da música com “Única”. De autoria própria, a letra foi escrita durante a pandemia, em um período de auto isolamento, e fala sobre a necessidade que temos no outro. A canção está disponível nas principais plataformas digitais e vem acompanhada de um videoclipe que faz homenagem ao pop dos anos 200.

- O desejo de ser cantora sempre existiu, mas o teatro me pareceu algo mais real e concreto. Só que durante a pandemia tudo parou, não tinha mais trabalhos ou compromissos, era apenas eu, minha cabeça e meu quarto, todos os dias. Foi quando me vi frente a frente com esse desejo e comecei a escrever e estudar melodia. Sozinha, precisava externalizar meus pensamentos e sentimentos, e foi daí que surgiu “Única” – explica Ingrid.

Apesar de estarmos em uma época de empoderamento próprio, a música foi criada em um momento de vulnerabilidade da artista, e aborda um tema que ainda é visto com maus olhos: a necessidade que temos em encontrar alguém para amar.

Publicidade

- A letra é sincera, sem censura ou lição de moral em relação aos sentimentos. Não é sobre uma pessoa incrível que não precisa de ninguém, é justamente o contrário. É a liberdade de poder dizer que eu preciso de alguém, da ilusão, da fantasia que o início de um possível amor pode trazer. Aquele encantamento inicial que faz você só pensar naquilo – conta.

No chão da sala e acompanhada de um violão solitário, ela decidiu mandar uma mensagem para um antigo amigo, João Gabriel Almeida, em busca da musicalidade ideal.

Publicidade

- “Única” era para ser um desabafo, só que aí o João apareceu lá em casa com a guitarra e eu senti um poder e animação muito fortes, e decidi que não seria mais uma canção triste, e sim algo para frente, com movimento e agitação. Escolhi o pop porque através dele conseguimos brincar com nossas dores, misturar algo sério e divertido com um poder e influência que só ele carrega – acrescenta.

Utilizando seu repertório no teatro, Manzini trouxe ainda um videoclipe que faz homenagem a cultura pop dos anos 2000. Com elementos que vão desde Britney Spears a Miley Cyrus, a produção está disponível no Youtube.

Publicidade

- O clipe era algo essencial porque a música em si é bastante cinematográfica e o vejo como mais uma forma de me conectar com o público e convidar as pessoas para adentrar o meu universo visual e sensorial. Um momento marcante são os closes que acontecem, uma referência dos clipes que eu cresci assistindo e sempre sonhei em fazer – ressalta.

O contato com a arte veio desde cedo. Aos seis anos de idade entrou no balé, e pouco tempo depois na turma de sapateado.

- Antes mesmo do balé o espírito de transformação existia dentro de mim. Lembro que em todo aniversário eu levava a sério o dever de representar a festa, seja da ‘Pequena Sereia’, que fiquei um tempão no chão da sala porque, em teoria, uma sereia não poderia andar sobre pernas, ou das ‘Meninas Superpoderosas’, quando fiz minhas primas se vestirem das outras personagens para tirarmos fotos imitando o cartaz do filme – diz.

Nascida e criada na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro, Ingrid possui fortes raízes no teatro. Formada pela CAL (Casa das Artes de Laranjeiras), realizou espetáculos como “Vem Buscar-Me Que Ainda Sou Teu”, dirigido por João Fonseca, e “Tolstórias”, inspirada nos contos de Tolstói.

- Foram anos subindo aquelas escadas do Cosme Velho e sendo ‘ameaça’ por macacos-prego no intervalo (rs). Lembro que no primeiro dia precisava me apresentar e falar meu nome em voz alta, e na época eu era super tímida e ficava pensando “pra que isso gente?”. Mas acho que o teatro musical me tornou a artista quem eu sou hoje. É incrível como subestimamos o poder da cultura, quando ela por si só é tão poderosa – detalha.

Para os próximos meses o plano é sonhar alto e se dedicar a carreira de cantora. Pretendendo lançar mais cinco músicas, ela revela que o momento é de inspiração para o futuro.

- Sonhar é comigo mesmo. Como boa sagitariana eu lanço minha flecha, e meu ascendente em gêmeos as vezes me faz lançar mais do que eu planejava, mas no final das contas tudo dá certo. No momento estou apaixonada, então talvez tenhamos uma música de amor, com uma pegada mais intensa. Quero escrever um álbum e produzir mais clipes, mas o principal objetivo é começar a fazer shows. É um sonho meu, e com certeza vamos fazer acontecer – finaliza.

Mais informações sobre Ingrid Manzini em - https://www.instagram.com/ingridmanzini/

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.