Cartão de Visita Conheça Muato, multiartista que tem colecionado prêmios e indicações no teatro

Conheça Muato, multiartista que tem colecionado prêmios e indicações no teatro

Premiado no Brasil e no exterior, ele concorre ao Prêmio Shell de Teatro em duas categorias

Premiado no Brasil e no exterior, ele concorre ao Prêmio Shell de Teatro em duas categorias

Cartão de Visita - Entretenimento

Cartão de Visita - Entretenimento

Cartão de Visita - Entretenimento
Muato Créditos: Paulinho Felicissimo

Com duas indicações ao 34º Prêmio Shell de Teatro, na categoria música, Muato desponta no cenário da criação musical para o Teatro. Compositor reconhecido por sua criatividade e sofisticação, assinou, no ano de 2023, cinco trabalhos de direção musical para teatro, mas teve em “Chega de Saudade!”, ao lado de Felipe Storino, e “Pelada - A Hora da Gaymada”, o reconhecimento dos jurados do que pode ser considerado o mais importante prêmio da classe teatral nacional. Muato assina dois dos quatro trabalhos indicados ao prêmio, mas também participa como instrumentista e cantor de “Em busca de Judith”, trabalho assinado por Pedro Sá Moraes.

- As indicações chegam em um momento muito importante. O ano foi de muita intensidade em todos os trabalhos. Esse reconhecimento coloca uma carga de energia extra para os próximos movimentos – comemora.

“Pelada - A Hora da Gaymada” é um trabalho de companhia com o Complexo Negra Palavra, grupo que Muato integra desde 2019. A peça faz o cruzamento da clássica pelada heterossexual com a “gaymada” (adaptação do tradicional “jogo de queimado” pela população LGBTQIAPN+ periférica). A montagem apresenta os bastidores da disputa de dois times pelo uso do Campo do Furão – campo localizado em Olaria, na Zona Norte do Rio de Janeiro – antes que uma empreiteira o compre. Com a comédia em sua raiz, conta uma típica história do subúrbio, com o embate entre o conservadorismo de um campo tradicionalmente de futebol e o desejo da realização do primeiro Campeonato de Gaymada em Olaria.

- A gente tem muita afinidade de linguagem teatral. Os caras têm uma execução muito precisa do trabalho de percussão corporal, são todos muito talentosos, eles me ajudaram muito a botar essas ideias todas em prática ao longo desse tempo. Além disso, foi o segundo trabalho em parceria com o diretor Orlando Caldeira, o que também ajudou muito na fluência dos ensaios – conta.

Em “Chega de Saudade!”, onde ele também encena, retoma-se ficcionalmente personagens, biografias e memórias da Bossa Nova no Rio de Janeiro das décadas de 1950 e 1960, em uma versão somente com atrizes e atores negros.

- O espetáculo “Chega de Saudade!” teve um processo em que muito foi construído pela força do elenco. As ideias musicais foram surgindo nos ensaios e nós tínhamos o desafio de apresentar um certo ar de Bossa Nova, mas visando romper os padrões do gênero musical. A intenção era fazer uso dessa estética para manifestar uma ideia política – revela.

Destaque em espetáculos sobre ícones da MPB

Após o sucesso com o musical “O Admirável Sertão de Zé Ramalho”, quando foi aclamado pela crítica e pelo público atuando no palco – interpretando um jovem Zé Ramalho – e na direção musical (assinada em parceria com Plínio Profeta), Muato está em uma nova produção sobre um astro da MPB: o musical “Djavanear - Um Tanto Flor, Um Tanto Mar”. Dessa vez, ele assina a direção musical com Alfredo Del-Penho dando forma ao repertório interpretado no palco pelo elenco formado por Karen Júlia, Leila Maria, Mattilla, Paula Santoro e Tontom Périssé.

Urbano e afrodiaspórico

Muato é oriundo de Vila Isabel, bairro do subúrbio carioca famoso por revelar ícones da nossa cultura, como Noel Rosa, Martinho da Vila e Carlos Dafé - e iniciou sua trajetória no estudo da música de concerto, mas foi muito além, se destacando pela sua atuação em diversas frentes e expressões artísticas.  

Assina trilhas de diversos espetáculos de destaque no teatro e no cinema como “O Pequeno Herói Preto”, "OBORÓ, Masculinidades Negras" e “Rio Negro”. A notoriedade do seu trabalho já o levou a conquistar prêmios no Brasil e no exterior, como o Awards Deutscher Rock & Pop Preis, na Europa, e o prêmio APTR. 

Como cantor e compositor, destaque para o projeto "AfroLove Songs ou A Canção Urbana de Amor Política", série musical e poética sobre o amor vivido por pessoas negras, mergulhando na música urbana com sofisticação poética e flerte estético com o R&B, Rap, Música Brasileira e Jazz. O projeto tomou tamanha proporção que se desdobrou nas criações do festival “Afrolove”, que reúne e protagoniza a juventude preta do Rio de Janeiro nas suas mais diversas expressões artísticas, e na “Muato Sessions”, que integra shows itinerantes e conexões com diversos artistas.

Rede social de Muato: @muatomuato

Últimas