Cinema Cineasta iraniano Dariush Mehrjui e sua esposa são mortos a facadas em casa

Cineasta iraniano Dariush Mehrjui e sua esposa são mortos a facadas em casa

A policia local investiga o motivo do crime; Mehrjui era um grande nome do cinema de seu país

AFP
  • Cinema | por AFP

Dariush Mehrjui e sua mulher, Vahideh Mohammadifar

Dariush Mehrjui e sua mulher, Vahideh Mohammadifar

ABDULWAHED MIRZAZADEH/ISNA NEWS/AFP - 01.07.2015

Um dos mais importantes cineastas iranianos, Dariush Mehrjui foi morto a facadas na noite deste sábado (14) com sua esposa, em sua casa, perto de Teerã, anunciou a Autoridade Judiciária ndo país este domingo (15). 

O cineasta, de 83 anos, dirigiu A Vaca, de 1969, um dos primeiros filmes da nova onda do cinema iraniano. 

"Durante a investigação preliminar, descobrimos que Dariush Mehrjui e sua esposa, Vahideh Mohammadifar, foram assassinados com múltiplas facadas no pescoço", anunciou o chefe da Justiça da província de Alborz, perto de Teerã, Husein Fazeli-Harikandi, citado pela agência de Justiça Mizan Online. 

Em entrevista publicada neste domingo pelo jornal Etemad, a esposa do cineasta dizia ter recebido ameaças e que sua casa havia sido roubada.

"A investigação mostrou que nenhuma queixa foi apresentada pela entrada ilegal na propriedade da família Mehrjoui e pelo roubo de seus bens", acrescentou Fazeli-Harikandi. 

Entre 1980 e 1985, o cineasta permaneceu na França, onde dirigiu Voyage au Pays de Rimbaud. Ao retornar para o Irã, triunfou nas bilheterias com Os Inquilinos

Em 1990, filmou Hamoun, uma comédia de humor ácido sobre as 24 horas na vida de um intelectual angustiado por seu divórcio e por suas preocupações intelectuais, em um Irã invadido pelas empresas tecnológicas Sony e Toshiba.

Na década de 90, Mehrjui também fez retratos de mulheres, entre eles Leila, um melodrama sobre uma mulher estéril e seu relacionamento com seu marido a partir dessa questão.

Últimas