Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Apresentadora de TV recebe alta seis dias após ser internada com mononucleose: 'Etapa vencida'

Cristina Ranzolin explicou que havia chegado de férias, mas sentiu febre e cansaço; ela fez uma série de exames e, na sequência, veio o diagnóstico

Famosos e TV|Do R7

Cristina Ranzolin
Cristina Ranzolin Cristina Ranzolin

A jornalista Cristina Ranzolin, apresentadora de uma TV no Rio Grande do Sul, recebeu alta, neste sábado (4), seis dias após ter sido diagnosticada com mononucleose, popularmente conhecida como "a doença do beijo", causada pelo vírus Epstein-Barr.

Cristina havia chegado de férias, mas sentiu febre e cansaço. Foi ao hospital, fez uma série de exames e, na sequência, veio o diagnóstico. A apresentadora estava internada desde então. (Assista ao vídeo abaixo)

Segundo a âncora, o tratamento agora deve continuar em casa. "Uma etapa vencida!!!", comemorou ela, que já havia enfrentado um câncer de mama em 2020. 

Cristina Ranzolin ficou nacionalmente conhecida como a "apresentadora que deixou o tablet cair no chão", enquanto apresentava o telejornal local, em 2019.

Publicidade

• Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

• Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

• Compartilhe esta notícia pelo Telegram

O que é a mononucleose?

Publicidade

Ao R7 Saúde, a infectologista Ana Rachel Rodrigues explicou que a doença é mais comum entre crianças, principalmente quando elas começam a frequentar a creche ou a pré-escola, e adolescentes. No entanto, também pode ocorrer na fase adulta, principalmente entre os 15 e os 25 anos.

"É uma doença muito prevalente. Cerca de 90% dos adultos, ou mais que isso, já tiveram contato com a doença. É mais raro quem não teve contato do que quem teve", disse a especialista.

A principal forma de transmissão do vírus causador da mononucleose infecciosa é a saliva. Segundo a médica, também é possível se contaminar em uma relação sexual, mas não é comum. "Falam que é a doença do beijo, mas ela pode ser transmitida por objetos, um copo, um material de uso comum, como um talher. Tudo o que tiver saliva pode transmitir", ressaltou.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.