Atriz e política, Daisy Lúcidi morre aos 90 anos de covid-19

Morte foi confirmada pelo neto dela no Facebook; Daisy teve o quadro de saúde afetado após ser infectada com o novo coronavírus

Daisy Lucidi morreu aos 90 anos, no Rio de Janeiro

Daisy Lucidi morreu aos 90 anos, no Rio de Janeiro

Divulgação

A atriz Daisy Lúcidi morreu na madrugada desta quinta-feira (7) de complicações decorrentes do novo coronavírus.

Ela estava internada no hospital São Lucas, unidade de Copacabana, no Rio, desde o dia 25 de abril, mas não resistiu ao covid-19.

A informação foi confirmada pelo neto de Daisy, Cau Mendes, que publicou um texto emocionado de despedida no Facebook. "Semana passada, apesar de toda precaução que estávamos tendo com ela, minha avó passou mal. A caminho do hospital disse pra minha irmã: 'Não se preocupe não minha filha, não peguei essa doença'. Ironia do destino... Seu forte amor pela vida, o motor que sempre a moveu, não a fazia enxergar a dura realidade dos números e a levou falsamente a acreditar que a morte não era opção", escreveu Cau.

Daisy Lúcidi trabalhou como atriz, radialista e atuou também na política.

Ela estrelou novelas da TV Tupi (Enquanto Houver Estrelas), da TV Rio (João da Silva) e da Globo (Supermanoela).

Casada com o jornalista esportivo Luiz Mendes, que morreu em 2011 em decorrência da leucemia, Daisy também teve passagens pelo rádio.

No entanto, entre 76 e 2007, ela deixou a carreira artística em segundo plano para se dedicar à política, sendo vereadora e deputada estadual pelo Rio de Janeiro, pelos partidos PDS, PFL e PPR.

De volta à TV, Daisy ganhou papel em Paraíso Tropical (2007), folhetim em que interpretou uma síndica. Já em 2010, ela esteve no papel de Valentina em Passione

Três anos depois, Daisy ganhou espaço na série Tapas & Beijos, interpretando a mãe de PC (Daniel Boaventura).

Daisy ainda voltou às novelas em 2014, participando de Geração Brasil, como Marlene, a irmã de Madá (Lady Francisco).