Famosos e TV Famosos se unem em defesa da apuração total de votos nos EUA

Famosos se unem em defesa da apuração total de votos nos EUA

Campanha 'Contem cada voto' foi criada para impedir que o atual presidente, Donald Trump, se autoproclame vencedor antes do fim do resultado

  • Famosos e TV | Da EFE

Mark Ruffalo e Lady Gaga apoiaram a campanha

Mark Ruffalo e Lady Gaga apoiaram a campanha

Fotos de Reprodução/Instagram

Personalidades do meio artístico dos Estados Unidos se juntaram à campanha "Count Every Vote" ("contem cada voto", em tradução livre) apoiada por políticos do Partido Democrata nas redes sociais para impedir que o atual presidente, o republicano Donald Trump, se autoproclame vencedor das eleições presidenciais realizadas no país antes do fim da apuração dos resultados.

"Cada voto deve ser contado. Ninguém vai tirar a democracia de nós, nem agora, nem nunca", publicou em sua conta no Twitter o candidato democrata Joe Biden, que, por enquanto, lidera a disputa contra Trump - com 264 dos 270 delegados necessários para ser eleito - e quebrou o recorde histórico de votos recebidos por um candidato à presidência americana, ao bater a marca de 70 milhões antes do fim da apuração.

O ator americano Mark Ruffalo, que interpretou Hulk na saga Os Vingadores, da Marvel, e já havia declarado apoio a Biden em diversas ocasiões, também se manifestou nesta quarta-feira através do Twitter.

"Nós votamos e usamos nossas vozes. É hora de honrar isso e garantir que todos os votos sejam contados antes de proclamar um vencedor", escreveu Ruffalo, que é um dos atores de Hollywood mais comprometidos com a esquerda americana.


A campanha democrata ganhou força após as declarações de Donald Trump, que ameaçou recorrer à Suprema Corte para denunciar uma suposta "fraude" contra ele e interromper a contagem de votos no país. Além disso, o vice-diretor da campanha de Trump, Justin Clark, acusou as autoridades eleitorais de obrigarem os fiscais do partido republicano que acompanham a contagem a manterem uma distância mínima de 7,6 metros.

"Estamos processando para suspender temporariamente a contagem até que haja transparência significativa e que os republicanos possam garantir que todas as contagens sejam feitas de acordo com a lei", afirmou Clark em um comunicado divulgado nesta quarta-feira (4).

Em resposta a um tweet em que Donald Trump explica essas decisões, o cantor John Legend disse: "Vamos todos reivindicar coisas às quais não temos direito".
"Gente, está quase acabando. Podemos ignorar esse idiota e mudar os códigos nucleares em um futuro não muito distante. Ainda temos grandes problemas (o Senado!), mas estamos muito perto de riscar este gigantesco da lista. Contem os votos", acrescentou.

Para o compositor de 41 anos, nascido na cidade de Springfield, em Ohio, há uma grande semelhança entre a instabilidade política atual e a vivida durante as eleições legislativas de meio de mandato de 2018, que definiram a maior parte do Congresso.

"Parece que estamos em 2018. (Quando houve) Muito estresse e opiniões prematuras até que todos os votos foram contados e os democratas se saíram muito bem. Deixem os votos serem contados", afirmou, através da rede social.

Já a cantora e compositora Lady Gaga, que passou a apoiar Biden publicamente apenas na reta final da campanha, também usou as redes sociais para defender a democracia.

"Cada voto neste país é importante, será contado e fará diferença! Esse é o emblema da nossa democracia! Tenho muita fé no espírito humano! Essa é nossa América! Mando a todos um grande abraço!", escreveu Gaga em um tweet compartilhado por mais de 14.500 pessoas.

A cantora barbadense Rihanna, por sua vez, usou o Twitter para ressaltar a importância de que todos os votos sejam registrados, independentemente do tempo que demore. "Contem cada voto. Nós iremos esperar", frisou.

A cantora californiana Katy Perry compartilhou em sua conta a hashtag "#counteveryvote" na rede social junto com duas imagens com os dizeres: "Cada Americano Conta. Contem cada voto" e "102 milhões de votos foram depositados antes do dia 3 de novembro. Temos a obrigação de contar todos os votos".

Por sua vez, o ator e cantor Justin Timberlake, nascido em Memphis, no estado do Tennessee, onde Trump conquistou a vitória e 11 dos 214 delegados que possui até agora, lembrou através do Twitter que mais de 91,6 milhões de pessoas em todo o país solicitaram cédulas para votar pelo correio.

"Mais cédulas pelo correio significa mais tempo gasto na contagem - porque essas cédulas demoram mais para serem processadas. Vamos ser pacientes, cada voto deve ser contado", alegou. 
 

Últimas