Famosos e TV Filha de Agnaldo Timóteo vence ação e obtém direito à herança

Filha de Agnaldo Timóteo vence ação e obtém direito à herança

Tribunal de Justição de SP reconheceu processo de adoção e considerou que cantor foi a única referência paterna da jovem

  • Famosos e TV | Ricardo Pedro Cruz, do R7

Resumindo a Notícia

  • Justiça determinou o reconhecimento de Keyty Evelyn como filha adotiva Agnaldo Timóteo
  • De acordo com a decisão do TJ, o cantor foi a única referência paterna da jovem de 14 anos
  • Disputa pela herança do cantor ganhou diferentes capítulos desde a morte dele, em abril
Justiça determinou reconhecimento de Keyty Evelyn como filha adotiva de Agnaldo Timóteo

Justiça determinou reconhecimento de Keyty Evelyn como filha adotiva de Agnaldo Timóteo

Reprodução/ Record TV

O Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o reconhecimento de Keyty Evelyn, de 14 anos, como filha adotiva e herdeira de Agnaldo Timóteo, morto em abril, aos 84 anos, vítima da covid-19. A informação foi confirmada ao R7 pelo sobrinho e assessor de imprensa, Timotinho Silva, nesta segunda-feira (9). 

A reportagem teve acesso ao conteúdo da sentença. De acordo com a juíza Cristina Ribeiro Leite Balbone Costa, da Vara da Infância e Juventude, o cantor foi a única referência paterna da jovem. "O Requerente reconhecia em Kayty sua filha e a adolescente reconhecia nele seu pai, não tendo conhecido jamais outra figura paterna em sua vida", diz um dos trechos do documento. 

A disputa pela herança do cantor ganhou diferentes capítulos desde a morte dele, em 3 de abril, após complicações provocadas pela covid-19. Além de o cantor ter deixado 50% dos bens para a filha adotiva Keyty Evelyn, a adolescente também vai receber todos os direitos autorais. "Era uma relação como pai e filha, mesmo. Porque ele pegou ela com 2 anos de idade", disse o sobrinho, em contato com a reportagem à época.

Veja: Agnaldo Timóteo deixa direitos autorais para filha de 14 anos

No entanto, os irmãos de Timóteo entraram na Justiça com pedido de mudanças no testamento. Por conta dos desentendimentos, a adolescente chegou a ser retirada da casa em que vivia com o pai adotivo. Meses depois, ela voltou ao local por conta de liminar obtida pelo inventariante do cantor, o advogado Sidnei Lobo Pedroso. Com a decisão da Justiça, entretanto, o documento não pode ser mais anulado por apresentar caráter retroativo. 

Últimas