Famosos e TV Justiça rejeita denúncia contra Renato Kalil no parto de Shantal Verdelho

Justiça rejeita denúncia contra Renato Kalil no parto de Shantal Verdelho

O Ministério Público denunciou o médico por lesão corporal leve e violência psicológica durante o parto da influenciadora

  • Famosos e TV | Do R7

Resumindo a Notícia
  • A Justiça negou a denúncia contra o médico Renato Kalil

  • O MPSP acusa o obstetra de lesão corporal e violência psicológica contra Shantal Verdelho

  • O juiz responsável pelo caso diz que não há provas dos supostos crimes

  • A influenciadora diz que sofreu violência obstétrica durante o parto da segunda filha

Renato Kalil é denunciado por violência contra Shantal Verdelho

Renato Kalil é denunciado por violência contra Shantal Verdelho

Reprodução/Instagram

A Justiça rejeitou a denúncia contra o médico Renato Kalil. Em decisão proferida nesta segunda-feira (31), o juiz Carlos Alberto Corrêa de Almeida Oliveira, da 25ª Vara Criminal do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo), determinou que não há provas para seguir com a denúncia apresentada pelo MPSP (Ministério Público do Estado de São Paulo).

O obstetra Renato Kalil foi acusado de ter cometido violência obstétrica contra Shantal Verdelho durante o parto dela, em setembro de 2021. Segundo a denúncia assinada pelas promotoras Fabiana Dal Mas e Silvia Chakian, o médico teria praticado lesão corporal leve e violência psicológica contra a influenciadora.

De acordo com o juiz responsável, não há provas que justifiquem a imputação dos crimes alegados contra Kalil. "Não se verifica a existência de um fundado motivo para o desenvolvimento de uma ação penal, até o momento, não existindo provas da ocorrência dos crimes imputados", diz a decisão.

As denúncias de Shantal Verdelho contra o médico foram feitas inicialmente pelas redes sociais, quando a influenciadora alegou ter sofrido violência obstétrica durante o parto da segunda filha, Domênica. Na época, viralizaram vídeos na internet em que o obstetra aparece xingando a paciente durante o parto.

A Promotoria de Violência Doméstica do Foro Central da capital paulista acompanha o caso desde a abertura do inquérito policial e apresentou a denúncia contra Renato Kalil na última terça-feira (25). Caso seja condenado pelos crimes, o médico pode pegar um ano e seis meses de prisão. O MPSP também pediu à Justiça que a influenciadora receba uma indenização de R$ 100 mil

Últimas