Famosos e TV Luana Piovani apoia Titi Müller após apresentadora ser proibida de falar do ex

Luana Piovani apoia Titi Müller após apresentadora ser proibida de falar do ex

Por conta de uma decisão judicial, a repórter não pode mais mencionar Tomás Bertoni, com quem teve um filho

  • Famosos e TV | Do R7

Resumindo a Notícia
  • Luana Piovani defendeu Titi Müller.

  • A apresentadora foi proibida pela Justiça de falar do ex-marido.

  • A atriz vive uma situação semelhante com Pedro Scooby.

Luana Piovanie e Titi Müller enfrentam situações semelhantes na Justiça

Luana Piovanie e Titi Müller enfrentam situações semelhantes na Justiça

Reprodução/Instagram

Após Titi Müller ter sido proibida pela Justiça de falar do ex-marido, Luana Piovani manifestou apoio à apresentadora. Na última quinta-feira (23), a repórter compartilhou um comunicado em que diz que foi proibida pela Justiça de mencionar o músico Tomás Bertoni, com quem foi casada e teve um filho e a quem ela acusa de agressão. A atriz, que vive uma situação similar com Pedro Scooby, defendeu Titi.

"Não passarão. A violência contra a mulher não pode ser silenciada. Vamos ao coro. Repostem a Titi Müller", disse Piovani ao compartilhar a publicação da apresentadora.

"Mulheres, manas! Repostem, vamos pôr luz nesse processo protegido, mas jamais calado", completou a atriz.

Assim como Titi, Luana também está proibida de falar do ex-marido. Pedro Scooby iniciou um processo contra a artista para impedi-la de abordar publicamente assuntos relacionados a ele e à criação dos três filhos, Dom, Liz e Bem, como ela costumava fazer.

Depois que a Justiça se decidiu a favor do surfista, Titi Müller foi bastante criticada por ajudar o atleta a organizar uma live sobre assuntos relacionados a criação de filhos, alienação parental e direitos da mulher. Na época, Luana Piovani saiu em defesa da apresentadora e voltou a defendê-la com o desdobramento do caso entre ela e Tomás.

O caso de Titi Müller

Na tarde de quinta-feira (23), Titi Müller compartilhou um comunicando em que declara não poder mais falar de assuntos relacionados ao ex-marido. A nota, elaborada pela assessoria jurídica dela, diz que essa é uma "decisão inconstitucional" e que as advogadas vão entrar com recurso.

"As violências psicológica e física sofridas pela apresentadora se iniciaram ainda durante a gravidez, em 2020. O receio de que o caso se tornasse público, agravando a já conturbada relação com o pai de seu filho, fez com que ela evitasse a denúncia formal até o limite de suas forças e de sua segurança, o que ocorreu em 5 de agosto de 2021. Uma medida protetiva concedida pela Justiça para garantir sua integridade está em vigor desde 13 de fevereiro de 2023", diz um trecho do comunicado.

Após o pronunciamento da apresentadora, Tomás Bertoni também se manifestou sobre o assunto. O músico da banda Scalene acusou a ex de expor o divórcio para ganhar curtidas e engajamento nas redes sociais. Ele também falou que entrou com esse pedido judicial para proteger a privacidade do filho deles, Bejamin, de 2 anos.

O músico nega as acusações feitas por Titi de que teria cometido violência física e psicológica contra ela. Segundo o artista, a "própria investigação tem demonstrado, em todas as etapas, que as alegações de violência não correspondem à verdade". Ele também declarou que se considera um pai presente na vida do filho.

Além de dizer que a apresentadora aborda os assuntos relacionados à separação e à criação do filho para ganhar "curtidas", ele fez nova acusações contra a ex-mulher. Tomás falou que Titi cometeu chantagens, agressões e invasão de propriedade, por isso eles teriam entrado na Justiça um contra o outro.

Luana Piovani e Pedro Scooby brigam publicamente há mais de três anos por causa dos filhos

Últimas