Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Maiores tiktokers de dança do Brasil falam sobre fama e revelam se dá para ganhar dinheiro com app

Graças aos vídeos de dança, grandes nomes do TikTok viram a vida mudar após terem viralizado na plataforma

Famosos e TV|Gabrielle Pedro, Do R7

Beca Barreto, Vanessa Lopes, Maria Clara Garcia, Maria Paula Marques, Luccas Abreu, Juliano Floss e Nilson Neto
Beca Barreto, Vanessa Lopes, Maria Clara Garcia, Maria Paula Marques, Luccas Abreu, Juliano Floss e Nilson Neto Beca Barreto, Vanessa Lopes, Maria Clara Garcia, Maria Paula Marques, Luccas Abreu, Juliano Floss e Nilson Neto

Nos últimos dois anos, o TikTok despontou como uma das redes sociais mais queridinhas do público jovem. Os vídeos com coreografias de dança se tornaram uma febre entre os brasileiros e também ajudaram a revelar grandes nomes, como Beca Barreto, Vanessa Lopes, Maria Clara Garcia, Maria Paula Marques, Luccas Abreu, Juliano Floss e Nilson Neto, que atualmente integram a lista dos maiores tiktokers de dança do país.

Em entrevista ao R7, esses sete jovens contam como os famosos "vídeos de dancinhas" e "challenges do TikTok" deixaram de ser um hobby despretensioso e se tornaram a maior fonte de renda deles.

Dá para ganhar dinheiro com o TikTok?

"Sempre fiz dança a vida inteira, não foi algo que surgiu do nada na minha vida. Desde os 4 anos, fazia balé, ginástica, dança contemporânea, sapateado e muitos outros. Também já participei de competições. Mas nunca imaginei que o TikTok pudesse se tornar um trabalho. Quando comecei, foi como um passatempo mesmo, um hobby, uma diversão a mais no meu dia a dia", diz Vanessa, que atualmente é seguida por quase 21 milhões de pessoas na plataforma de vídeos.

Esse é o mesmo caso de Maria Clara Garcia, com mais de 15 milhões de seguidores no aplicativo. "A dança faz parte da minha vida desde muito nova, comecei a fazer aulas com 8 anos de idade. Sempre amei e então juntei uma paixão com diversão, e hoje também virou meu trabalho. A plataforma dá espaço pra todo mundo se expressar da forma que quiser", conta.

Publicidade

Com 6,5 milhões de fãs na rede social, Juliano Floss explica que é possível ganhar dinheiro com o TikTok, mas que a rede funciona mais como um chamariz para outros trabalhos, como as conhecidas "publis" — campanhas publicitárias. "Apenas gravar na plataforma não vai trazer dinheiro, mas é um bom começo. O aplicativo mostra você para as pessoas de maneira orgânica e, a partir disso, você consegue vender seu pastel, dá pra ganhar um bom dinheiro, sim."

"O TikTok em si não te dá verba. Não é uma plataforma como o YouTube, que é monetizado, pelo menos aqui no Brasil ainda não é. Ou seja, você tem que se dedicar bastante no Instagram também. Dessa forma, as agências vão ver teu perfil e, se te acharem apropriado, vão te chamar para algum trabalho", explica Maria Paula Marques, seguida por 7,7 milhões de fãs.

Publicidade

Evolução e constância

Fortes no nicho de dança, eles reforçam a importância do aprendizado para a evolução. Por isso todos dão a seguinte dica a quem quer seguir o mesmo caminho de sucesso no "aplicativo vizinho": aprimore-se.

"Dance no TikTok, procure alguma escola de dança para se aprimorar, poste seus vídeos e trabalhe bastante nisso", diz Maria Paula Marques. "Tenha disciplina, estude, pesquise, faça tudo o que puder, mas saiba que a vontade e a felicidade de gravar e dançar é tão grande que supera tudo. Então, acho que quando se tem paixão por algo e paciência pra entender, uma hora a recompensa do seu esforço vem", aconselha Vanessa.

Publicidade

Nesse caso, "não desistir" é praticamente a regra. "Não pare de tentar, nunca. Você não sabe quando a plataforma vai te fazer viralizar, é algo que acontece na sorte, e uma hora você vai ver que de repente seu vídeo, que estava com cinco visualizações, terá 1 milhão. Isso vale tanto para a dança quanto para outros nichos", diz Nilson Neto, com 12,3 milhões de seguidores no TikTok.

Além da dança...

Embora hoje sejam reconhecidos no meio, alguns deles também pensam em se destacar em outras áreas.

"Sou atleta profissional de tiro com arco há dez anos e da seleção brasileira há sete. Quero concluir a faculdade de educação física para somar na minha carreira e quem sabe no futuro também ser técnico no esporte que pratico, além de continuar e conciliar o meu trabalho na internet", diz Luccas Abreu, com mais de 6 milhões de fãs.

Seguida por 21,7 milhões de pessoas, Beca Barreto, de 20 anos, cursou sete semestres de psicologia e sonha em voltar para a faculdade em breve. "Tranquei a faculdade justamente por ter explodido no TikTok e no Instagram. Não estava dando conta de fazer o trabalho na internet e a faculdade ao mesmo tempo. Resolvi dar um tempo para minha mente, já que passei a vida inteira focada nos estudos e entrei para a faculdade de psicologia ainda muito nova. Quis me dar esse tempo para aproveitar esse novo período da minha vida, mas pretendo voltar."

Apesar do sucesso estrondoso, eles contam que já tiveram seu trabalho desmerecido por "apenas" ganharem dinheiro com dancinhas no TikTok.

@juliano

O CARA LÁ TRÁS KKKKKKKKK @Rebeca Barreto

♬ som original - Jvmenezesofc

"Muitos não valorizam meu trabalho, mas o que importa é que eu valorizo e eu sei do meu esforço e do esforço da minha equipe enorme e maravilhosa por trás. Hoje, já não me abalam tanto essas críticas porque tenho noção e orgulho de tudo que já conquistei e vou conquistar pela frente", afirma Vanessa.

"Como todo mundo diz, 'se tem haters é porque está dando certo', mas você tem que ter sua cabeça focada na sua consciência, em quem você é, na sua trajetória, no que você fez e em tudo que aconteceu pra você chegar aonde chegou. Sua consciência, estar perto de pessoas que amam você e querem ver o seu melhor", diz Beca.

"Hater eu considero um tipo de fã. A diferença desses para os outros é que eu ignoro e não dou palco. Se a gente fizer o que eles querem, vai começar a ser consumido aos poucos até ficar sem nada", acrescenta Nilson.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.