'SP no Ar' terá série jornalística captada integralmente por drones

A partir de sexta-feira (26), telejornal apresenta a produção 'SP Voar', que abordará assuntos da capital paulista sob perspectiva diferenciada

Reportagens serão gravadas inteiramente por drones

Reportagens serão gravadas inteiramente por drones

Divulgação/Record TV

A Record TV estreia nesta sexta-feira (26), no SP no Ar, a primeira série de reportagens da TV brasileira gravada com imagens captadas exclusivamente por drones.

No ar a partir das 7h, o telejornal matutino apresenta a produção SP Voar em sete episódios, exibidos toda sexta-feira, que abordam assuntos sobre a capital paulista, como prédios históricos, ciclovias e áreas verdes sob uma perspectiva diferenciada.

O trabalho foi realizado em parceria com a Ablink, produtora pioneira no mercado de lives e conteúdos para plataformas digitais. 

Além do ineditismo na forma de gravação, as reportagens foram produzidas a partir de um conceito multiplataforma. A série será exibida no SP no Ar e ainda haverá outras duas versões, com maior duração, disponíveis nas plataformas digitais, como o R7, mídias sociais e no canal PlayPlus.

A flexibilidade de movimentos de câmera do drone foram os diferenciais que a  Record TV considerou ao decidir investir no “drone journalism”, que traz uma importante ferramenta de captação de conteúdo para o material trazido das ruas.

Enquadramentos diferenciados nas entrevistas, agilidade, além de imagens aéreas belíssimas solidificaram o compromisso da emissora com a qualidade, inovação e conteúdo.

No episódio de estreia, Prédio Históricos, o repórter Tom Bueno apresenta o centro da cidade que passa despercebido por quem transita ali todos os dias, da beleza e força das construções históricas aos moradores que investiram no centro apesar dos problemas de conservação, além das inúmeras questões sociais ainda não solucionadas.

Nas semanas seguintes, irã ao ar as demais reportagens:

Marginais – Com a reportagem de Douglas Dias, a matéria revela a vida entorno das marginais, principais vias de acesso da cidade: o comércio perigoso e ilegal dos ambulantes, a arte, o estresse de quem vive ao lado das ruidosas marginais, o amor pela paisagem que corta a cidade. E ainda mostra a esperança daqueles que sonham que um dia os rios voltem à vida.

Áreas Verdes – A resistência das áreas verdes em São Paulo também é tema da série. Ilhas verdes em meio ao concreto e trânsito pesado. O trabalho de preservação voluntária de quem usa os espaços para a reconexão com a qualidade e vida. A reportagem é de Tom Bueno.

Represas – Douglas Dias mostra a vida ao redor das represas de Guarapiranga e Billings, dos passeios nas chamadas praias paulistanas ao paradoxo do luxo de grandes construções de um lado e comunidades carentes que vivem em outras margens.

Ciclovias – As ciclovias também serão parte da série. O repórter Tom Bueno relata como elas vêm transformando a paisagem urbana e dividindo espaços com formas de locomoção cada vez mais ecléticas. De patins à patinetes elétricos, de uso recreativo à solução para jovens desempregados que usam as bicicletas para entregas, as ciclovias prometem tomar cada vez mais conta da cidade.

Horário de Pico – Seja sobre trilhos, carros, bicicletas ou até mesmo a pé, os horários de pico na cidade de São Paulo a cada ano começam mais cedo. E é essa rotina que será apresentada por Douglas Dias. As pessoas que precisam do transporte público, de quem vive do trânsito, a pressa e a vontade de chegar logo em casa para recomeçar tudo no dia seguinte.

Ruas de Lazer – A repórter Salcy Lima mostra as ruas de lazer na periferia; a arte fruto da tomada do espaço asfáltico; polêmicas e privacidade de quem mora ao nível de carros e; janelas transformadas em palco aberto e livre. A adaptação de quem tem cada vez menos espaço durante os dias da semana.

O SP no Ar, apresentado por André Azeredo, é exibido de segunda a sexta, às 7h.