Famosos e TV Viúva de Paulinho diz que não foi incluída no inventário do músico

Viúva de Paulinho diz que não foi incluída no inventário do músico

'É como se eu nunca tivesse existido', afirmou Elaine Bastos; advogado dos filhos nega retirada do nome dela do documento

  • Famosos e TV | Aurora Aguiar, do R7

Resumindo a Notícia

  • Viúva de Paulinho diz que não foi incluída no inventário do músico
  • 'É como se eu nunca tivesse existido, fiquei chocada', disse Elaine Bastos
  • Elaine afirma que a relação com os filhos do marido sempre foi conflituosa
  • Advogado nega que Elaine tenha sido excluída do inventário
Elaine afirma que viveu 16 anos junto com o cantor

Elaine afirma que viveu 16 anos junto com o cantor

Reprodução/ Facebook

A psicóloga e advogada Elaine Soares Bastos, viúva de Paulinho, o vocalista do Roupa Nova que morreu em dezembro do ano passado após complicações causadas pela covid-19, afirmou ter descoberto que ficou de fora do inventário que diz respeito a divisão de bens do músico. Em conversa com o R7, Elaine disse que os filhos do cantor, Twigg de Souza Santos e Pedro Paulo Castor do Santos, não a incluíram do documento. 

"O Paulinho faleceu no dia 14 de dezembro. Tivemos que esperar 24 horas porque não se pode cremar logo no dia seguinte. Fizemos, então, o velório e a cremação no dia 16. No dia 17, entrei nas comarcas para ver se já havia feito alguma coisa e levei aquele susto quando vi que os filhos já tinham dado entrada no inventário no dia 16. Ou seja, enquanto o pai estava sendo velado, os advogados deles já estavam entrando na Justiça. Eu fiquei fora desse inventário. É como se eu nunca tivesse existido, fiquei chocada", disse.

Elaine contou que viveu por 16 anos junto com Paulinho e que quem sempre fez tudo pelo músico foi ela. "Eu que sempre fui o grande amor da vida do Paulinho, vamos dizer assim. A gente sempre se tratava por 'namorado' e 'namorada'. Tanto é que quando ele faleceu, eu mandei entregar uma coroa de flores e pedi para colocar: 'Saudades eternas namorado'", contou. "Os médicos do Paulinho nem sabiam quem eram os filhos dele. Paulinho passou por quatro cirurgias e nenhum deles foi visitar. Os médicos só souberam dos filhos quando ele foi intubado", acrescentou.

A viúva do vocalista do Roupa Nova afirmou ainda que a relação com os enteados, em especial com Twigg, a filha do cantor, desde o início do relacionamento com o músico sempre foi conflituosa. "Eu tentei de todas as maneiras ter uma relação saudável com ela", disse. 

A viúva encerrou o desabafo dizendo o que pretende fazer daqui para frente: "Como os filhos abriram o inventário e não consta o meu nome nele, meu advogado vai entrar com uma petição solicitando tudo o que eu nomeei: os equimentos de música, se eu tenho ou não que dividir o Grammy, as coisas de casa, coisas assim".

E acrescentou: "A gente tem uma união estável, mas nós não registramos isso. Eu deveria ter me casado quando ele quis casar para não acontecer o que está acontecendo. Mas a gente nunca pensa que as coisas podem chegar no ponto que chega, infelizmente".

O R7 procurou os filhos de Paulinho para comentar o assunto. O advogado Marco Antonio respondeu a reportagem afirmando que Elaine não foi excluída do inventário. Leia a nota

Com o especial fim de esclarecer a informação trazida, informamos que a Sra. Elaine nunca foi excluída do inventário do falecido Paulo, mesmo porque, ainda que fosse o caso, o que de fato não é, o momento processual adequado não nos apresenta hipótese de cabimento da exclusão (...) nem as primeiras declarações foram apresentadas, o que significa dizer que nem os bens deixados pelo falecido foram apresentados, nem mesmo se possui testamento e/ou outros herdeiros.

Cabe informar que tão logo noticiados do falecimento do pai, os filhos, Pedro Paulo e Twigg estabeleceram contato com a Sra. Elaine, com o específico fim de se reunirem e tratarem das formalidades e burocracias decorrentes do falecimento do Paulinho, tais como, a expedição de certidão de óbito, inventário, custas com advogados, processos, despesas para administração e manutenção dos bens herdados, no entanto, a Sra. Elaine recusou a reunião alegando que não estava bem no momento para tratar deste assunto (...)

É necessário destacar que o inventário, conforme determina o artigo 611 do código de processo civil tem que ser aberto num prazo de 60 dias, razão pela qual os filhos Pedro Paulo e Twigg tomaram as mais rápidas providências judiciais para abertura da sucessão, pois são herdeiros necessários do Paulinho, e, portanto, legitimados para a propositura desta demanda judicial.

Últimas