Adelaide Chiozzo, cantora de 'Beijinho Doce', morre aos 88 anos

Cantora estava internada no Rio de Janeiro por causa de uma pneumonia e não resistiu a complicações em decorrência da doença

Adelaide morreu na manhã desta quarta-feira (4)

Adelaide morreu na manhã desta quarta-feira (4)

Reprodução/Facebook

A cantora e compositora Adelaide Chiozzo, famosa pela música Beijinho Doce, morreu nesta quarta-feira (4) aos 88 anos.

Ela estava internada em um hospital no Rio de Janeiro com pneumonia e não resistiu a complicações em decorrência da doença.

Adelaide integrou o elenco de cantoras famosas da Rádio Nacional, da EBC (Empresa Brasil de Comunicação), onde trabalhou por 27 anos.

A cantora participou de vários programas na Rádio Nacional, entre os quais Alma do Sertão e Gente Que Brilha. Foi estrela da empresa Atlântida Cinematográfica, onde atuou em vários filmes em parceria com a atriz Eliana, entre os anos de 1947 e 1975.

Adelaide estreou no cinema em 1946, na comédia Segura Esta Mulher ao lado do pai, Afonso Chiozzo, de acordo com o Dicionário Cravo Albin de Música Popular Brasileira. A música de maior sucesso da cantora foi Beijinho Doce.

Em sua página no Facebook, o radialista Osmar Frazão se despediu da cantora. "Nossa amada cantora Adelaide Chiozzo parte para o mundo de esplendores. Bonita e cativante no rádio, na música e no cinema nacional. Uma das estrelas do Baile da Cinelândia. Uma saudade boa de sentir!". 

Adelaide nasceu em São Paulo no dia 8 de maio de 1931. Foi casada com o violonista Carlos Matos e teve uma filha, Cristina Chiozzo.