Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Música
Publicidade

Luísa Sonza chora por 'proibição' da gravadora: 'Isso é uma obra minha'

Cantora revelou aos seguidores que a Universal Music não autorizou que ela gravasse o projeto 'Doce 22' ao vivo

Música|Do R7

Luísa Sonza foi às lágrimas por 'proibição' da gravadora
Luísa Sonza foi às lágrimas por 'proibição' da gravadora Luísa Sonza foi às lágrimas por 'proibição' da gravadora

Luísa Sonza não segurou as lágrimas ao expor o sentimento de revolta com a Universal Music. Em uma série de vídeos no Instagram, a cantora disse que, embora tenha prometido a si mesma que não demonstraria seus sentimentos nas redes sociais, precisava desabafar sobre a situação.

Segundo ela, seus fãs sabem que sempre sonhou em fazer um ao vivo, especialmente do projeto Doce 22, classificado como um dos mais importantes de sua vida e carreira. "Fiz o ao vivo de um show que foi muito importante para mim, da turnê O Conto Dos Dois Mundos, e tá lindo. Quando eu descobri que a Universal não iria liberar, eu evitei escutar, porque sabia que não seria liberado", iniciou a artista, em lágrimas.

"Está a coisa mais linda do mundo. Quem é artista sabe que a gente ama o que faz e faz com todo o carinho. Me dói demais pensar que tanta gente trabalhou nisso e, simplesmente, não liberam", lamentou.

Luísa declarou que ofereceu todo o lucro para a gravadora publicar o projeto. "Eu só quero que esse ao vivo saia. Eu só queria ter o ao vivo do meu show, de Doce 22. [...] Vocês sabem tudo o que eu vivi. Só queria uma celebração [...] e os caras, simplesmente, não liberam. O que custa? Isso é uma obra minha! Isso é uma coisa minha! Eu dou todo o dinheiro que eles quiserem, tudo o que eles quiserem", complementou.

Publicidade

Segundo a artista, a justificativa da gravadora é não querer "perder o dinheiro que Doce 22 dá para eles" e nem querer "dividir os streams". "Eu estou disposta a dar os streams para eles, se quiserem. Dou tudo para eles. Eu só quero que tenha registrado pra todo mundo, pra quem não pôde ver o show. [...] Estou nos últimos 15 shows da turnê e depois vai acabar, nunca mais vai existir. Não vai ter um registro oficial ao vivo, porque a Universal não consegue liberar para mim minhas músicas, minha história", refletiu.

Luísa agora faz parte da Sony Music e garantiu que tanto ela quanto a nova gravadora estão dispostos a deixar os direitos de Doce 22 com a Universal Music. "Eu e os fãs merecemos isso", finalizou.

Publicidade

O Estadão entrou em contato com a Universal Music e aguardava o posicionamento da gravadora até a publicação deste texto. O espaço está aberto para manifestações.

Carência, tuítes e 'troca de casais': Luísa Sonza e Whindersson têm mais a ver do que pensam

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.