Mikaela, filha de Steven Spielberg, lança carreira na pornografia

Aos 23 anos, ela vê a escolha como "empoderadora" e diz que a ajudou a superar abusos

Mikaela Spielberg

Mikaela Spielberg

Tenho Mais Discos Que Amigos
Reprodução/Instagram Steven Spielberg é um dos diretores mais bem-sucedidos do mundo, e sua filha Mikaela resolveu trilhar um caminho que também envolve filmes. No entanto, a garota de 23 anos adotada ainda enquanto bebê escolheu trabalhar na indústria pornográfica. A garota produz seu conteúdo há algum tempo, estando agora em busca do licenciamento para se tornar uma profissional do sexo. Em tempo, ela apagou todos os vídeos de seu canal no PornHub enquanto espera a licença para fazer tudo da forma mais legal possível. Sobre a decisão de carreira, ela deixou bem claro em entrevista exclusiva ao The Sun que a ideia é se sentir bem consigo mesma. Ela também justifica querer conquistar uma independência em relação aos pais, cujo patrimônio está estimado em bilhões de dólares, e falou: Não é uma decisão tipo 'fim da linha' ou 'estou no fundo do poço'. É uma escolha positiva, empoderadora. Eu percebi que não há nenhuma vergonha em ter uma fascinação com essa indústria e querer fazer algo que seja seguro, são, e consensual. Essas três 'regras' que estabeleceu, justamente, fazem com que ela trabalhe apenas sozinha, também em respeito ao seu parceiro Chuck Pankow que afirma apoiar sua carreira. Isso significa, naturalmente, que ela não gravará cenas de sexo. Mikaela Spielberg Mikaela, que adotou o nome artístico Sugar Star na indústria, falou que seus pais ficaram 'intrigados mas não chateados' com a escolha. Ela fez o anúncio a eles via FaceTime, recentemente, e comentou: Minha segurança sempre foi a prioridade número um para eles. Eu acho que na verdade quando eles virem quão longe eu estou chegando do fundo do poço em que eu estava um ano e meio atrás, eles vão olhar pra isso e pensar, 'Nossa, nós criamos uma jovem mulher realmente cheia de confiança'. Sobre esse 'fundo do poço', ela explicou que isso se relaciona a abusos sofridos nos últimos anos. Ela garantiu que nada disso veio do círculo de família e amigos dos pais, como destacou o CoS: Ainda temos esta ideia do que mulheres podem e não podem ser — essa é uma forma de trabalho tão deslegitimada mesmo que seja legal ser uma atriz de filmes adultos e fazer e escrever coisas eróticas de maneira privada. Eu sinto que fazendo esse tipo de trabalho eu consigo 'satisfazer' outras pessoas, mas isso faz eu me sentir bem porque não é de uma forma que eu me sinta violada. Desejamos sorte na empreitada!