Música  Zuza Homem de Mello tinha acabado de estrear novo projeto

 Zuza Homem de Mello tinha acabado de estrear novo projeto

Muito Prazer, Meu Primeiro Disco teve participação de Gilberto Gil. Confira a trajetória do jornalista e escritor, morto neste domingo (4), aos 87 anos

  • Música | Do R7

Gilberto Gil foi o primeiro a participar do projeto 'Muito prazer, meu primeiro disco'

Gilberto Gil foi o primeiro a participar do projeto 'Muito prazer, meu primeiro disco'

Reprodução/Instagram

Foi com a participação de Gilberto Gil, que Zuza Homem de Mello deu início ao que seria seu último projeto, 'Muito Prazer, Meu Primeiro Disco', realizado pelo Sesc Pinheiros, idealizado pelo jornalista e escritor Lucas Nobile, em curadoria conjunta com o musicólogo e jornalista que faleceu neste domingo (4), em casa, aos 87 anos. 

O projeto tinha como objetivo revisitar os primeiros trabalhos de grandes nomes da história da música brasileira. São álbuns de estreia que, já nesse momento inicial, se mostram relevantes e consistentes e revelam marcas da trajetória posterior dos artistas. A cada episódio, um artista musical seria entrevistado por Zuza e Nobile, sempre com a mediação de Adriana Couto, quando contarão um pouco sobre o processo de criação e produção do disco, compartilhando ainda histórias e memórias afetivas da obra visitada.

Aos 87 anos, morre o produtor e escritor Zuza Homem de Mello

Uma iniciativa que mostraria mais uma vez a grandiosidade de Zuza quando o assunto era a música popular brasileira. Ele era uma enciclopédia. Um Google, para atualizar o conceito. Conhecedor profundo do tema, Zuza foi jornalista, escritor, radialista e musicólogo. 

José Eduardo Homem de Mello, mais conhecido como Zuza Homem de Mello, nasceu no dia 20 de setembro de 1933. Jornalista, ele se especializou na história da música popular brasileira (MPB). Iniciou-se no jornalismo em 1956, assinando uma coluna de jazz para a Folha da Noite. Após um período de estudos em Nova York, voltou ao Brasil e ingressou na TV Record, onde trabalhou por dez anos como engenheiro de som e booker na contratação de atrações internacionais.

Entre 1977 e 1988 produziu e apresentou o Programa do Zuza, na Rádio Jovem Pan AM, e fez crítica de música popular para O Estado de S. Paulo, atuando desde então como diretor artístico de shows e festivais de jazz e produtor de discos. É autor dos livros Música popular brasileira cantada e contada... (Melhoramentos, 1976), A canção no tempo, dois volumes em coautoria com Jairo Severiano (Editora 34, 1997 e 1998), João Gilberto (Publifolha, 2001), A Era dos Festivais (Editora 34, 2003), Música nas veias (Editora 34, 2007) e Música com Z (Editora 34, 2014, vencedor do Prêmio APCA).

Em 1997, Zuza coordenou a Enciclopédia da Música Brasileira. Desde 1958, Zuza realizou palestras e cursos sobre Música Popular Brasileira e jazz no Brasil e no exterior, tendo sido também jurado de alguns do mais importantes festivais de música no Brasil. Desde 2018, Zuza ocupava a cadeira 17 da Academia Paulista de Letras.

A saída de Zuza de cena deixa uma lacuna impossível de preencher. 

Últimas