Tapetes vermelhos de Hollywood são repensados em meio ao coronavírus

SAUDE-CORONAVIRUS-TAPETEVERMELHO:Tapetes vermelhos de Hollywood são repensados em meio ao coronavírus

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) - Pode demorar um pouco até que você ouça no tapete vermelho de Hollywood: "E quem você está vestindo hoje à noite?".

Os tapetes vermelhos, a alma das estreias de filmes e premiações, prosperam com o burburinho de atores elegantes, suas roupas e fãs gritando.

Mas, à medida que Hollywood sofre com a pandemia de coronavírus, os tapetes vermelhos do futuro próximo parecerão muito diferentes--se acontecerem.

"Todo mundo está desesperado para voltar para uma versão normal, em que ficamos juntos pessoalmente, ombro a ombro", disse um relações públicas de Hollywood que preferiu não ser identificado.

"Eu não vejo isso voltando completamente até que tenhamos algum tipo de vacina. Quem sabe quando as pessoas vão querer se envolver fisicamente em interações pessoais, sem falar na viagem para chegar a esses lugares?", afirmou.

Um grande teste será realizado em julho, quando o thriller de Christopher Nolan "Tenet", da Warner Bros., e o remake live-action da Walt Disney "Mulan" estão programados como os primeiros grandes lançamentos desde que o novo coronavírus fechou cinemas em todo o mundo e os estúdios transferiram a estreia de dezenas de filmes para o final de 2020 ou para 2021.

A Warner Bros. e a Disney não anunciaram os planos de publicidade para os dois filmes, nem os organizadores da premiação Emmy Awards, que devem ocorrer em Los Angeles em setembro.

A organização de eventos de Los Angeles 15|40 Productions, que projetou mais de 200 estreias de Hollywood, está consultando vários estúdios sobre planos que incorporam distanciamento social.

"Abordamos o tapete vermelho e tivemos que repensar como isso funcionaria após a quarentena mantendo as pessoas separadas", disse Craig Waldman, presidente da 15|40 Productions.

(Reportagem adicional de Lisa Richwine e Alicia Powell)