Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Odair Braz Jr - Blogs
Publicidade

Paul McCartney toca 39 músicas sem naftalina ou saudosismo barato

Ex-Beatle, aos 76 anos, tocou durante mais de duas horas e apresentou canções novas e antigas para uma Arena Palmeiras completamente lotada

Odair Braz Jr|Do R7


Paul no início de seu show no estádio do Palmeiras
Paul no início de seu show no estádio do Palmeiras

Um Beatle quando está entre os mortais — no caso, os brasileiros — é quase como um semi-deus andando por aí. Paul McCartney é uma divindade do rock, daquele tipo que está em extinção, mas que se recusa a entrar em decadência, como acontece com muitos outros de sua geração.

Nesta terça (26), Paul fez a primeira de duas apresentação em São Paulo e não precisou se esforçar para conquistar a Arena Palmeiras, que estava com lotação máxima. Basta ver aquele tiozinho simpático entrar no palco — e ele subiu lá com passinhos tranquilos, como se entrasse na cozinha de casa — para ser arrebatado. E aí, foram duas horas e pouco de um show perfeito.

O mais interessante de tudo é que Paul já esteve nove vezes no Brasil (contando com esta vinda) e sempre consegue apresentar um espetáculo diferente, com músicas diferentes, momentos únicos, mas sempre com a mesma energia. Isso tira do público aquela sensação de “putz, já vi esse show antes”.

Ele abriu a noite com A Hard’s Day Night, clássico dos Beatles. Foi a sinalização para o início da festa que teria ainda mais 39 canções, misturando o repertório de sua ex-banda com vários hits do Wings e de sua longa carreira solo.

Publicidade

Dá para dizer que esse show da turnê Freshen Up é um pouco mais low-profile do que os seus anteriores. Tudo é ensaiado, mas não há uma produção excessiva, não tem aquela coisa de “um show de luzes” ou bonecos infláveis se erguendo no palco ou coisas do tipo. É basicamente Paul e sua excelente banda que já o acompanha há muitos e muitos anos. Para completar, McCartney conseguiu não virar um artista-robô, daqueles que sempre falam e agem da mesma maneira, tipo um Roberto Carlos. Não. É acompanhar o show para ver que Paul está ali, vivo, pulsante e interessado em tudo o que está fazendo. E deixa isso tudo claro ao dar ao público um show que passa por vários momentos.

Paul com sua banda no palco
Paul com sua banda no palco

Inicialmente é uma coisa básica, bem rock’n’roll, bem elétrico. Depois vai para a parte eletro-acústica, quando o público o viu tocar In Spite of All the Danger, que ele definiu como “a primeira música gravada pelos Beatles”. Isso foi em 1958, quando a banda ainda se chamava The Quarrymen. E, no ato final, o roqueiro mandou ver numa festança rock’n’roll com um monte de clássicos dos Beatles.

Publicidade

No meio de tudo isso, Paul toca baixo, guitarra, banjo, piano e vai comandando e emocionando seu público com sucessos como Let It Be, Jet, All My Loving, Helter Skelter, Love Me Do, Lady Madonna e dezenas de outras.

Por falar em público, a Arena Palmeiras tinha de tudo: gente mais velha, adolescentes, jovens e até crianças. E todo mundo cantando quase todas as músicas, até as mais novas, com todo o entusiasmo possível. É até surpreendente ver como Paul consegue atrair gente de todas as idades mesmo já com anos de estrada.

Publicidade

O segredo do ex-Beatle é que ele faz questão absoluta de não ficar preso ao passado. Sua carreira solo é gigantesca — já é bem maior do que sua fase nos Beatles — e ele continua lançando álbuns desafiadores para si próprio e para seus fãs. Não fica preso nas amarras de sua ex-banda e solta discos com as músicas que quer, sem se importar se vão tocar em rádio ou nos serviços de streaming. Assim, Paul se afasta da decadência e se recusa a apostar num formato que seria muito mais fácil e tranquilo para ele e para quem gosta de seu trabalho.

E com 39 canções apresentadas com energia total, Paul e sua banda mostraram que o rock ainda pode ser divertido e instigante. Aos 76 anos, é bem mais do que a gente poderia esperar.

Veja as músicas que foram tocadas no show:

A Hard Day's Night

Save Us

All My Loving

Letting Go

Who Cares

Got to Get You Into My Life

Come On to Me

Let Me Roll It com "Foxy Lady"

I've Got a Feeling

Let 'Em In

My Valentine

Nineteen Hundred and Eighty-Five

Maybe I'm Amazed

I've Just Seen a Face

In Spite of All the Danger

From Me to You

Dance Tonight

Love Me Do

Blackbird

Here Today

Queenie Eye

Lady Madonna

Eleanor Rigby

Back in Brazil

Fuh You

Being for the Benefit of Mr. Kite!

Something

Ob-La-Di, Ob-La-Da

Band on the Run

Back in the U.S.S.R.

Let It Be

Live and Let Die

Hey Jude

Bis:

Hi, Hi, Hi

Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band (Reprise)

Helter Skelter

Golden Slumbers

Carry That Weight

The End

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.