Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

Animais também ficam estressados em dias com altas temperaturas, diz especialista

Não são só os humanos que ficam desconfortáveis com o calor extremo; saiba formas de deixar os bichos mais tranquilos

RPet|Do R7

Professora da UFRRJ diz que animais ficam estressados no calor
Professora da UFRRJ diz que animais ficam estressados no calor Professora da UFRRJ diz que animais ficam estressados no calor

É comum que dias muito quentes deixem os indivíduos estressados, e essa não é uma característica isolada das pessoas. As altas temperaturas causam esse tipo de desconforto tanto para os humanos quanto para os animais, sejam domésticos, sejam de produção — como bovinos, ovinos, caprinos, suínos, equinos, coelhos, galinhas e outras aves. Isso mostra que todos estão sujeitos a perigos provocados pelo calor extremo. Com isso, fica evidente a importância de estar sempre atento à saúde do bicho.

A professora Ana Lúcia Puerro de Melo, do Instituto de Zootecnia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), indicou esse fato à Agência Brasil e lembrou que, caso o bicho fique irritado, é importante procurar um veterinário. "Todos eles estão sujeitos a estresse com essas ondas de calor tão extremas."

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Assine a newsletter R7 em Ponto

Publicidade

"No caso de animais de produção, o nível de estresse de calor é bastante grave. A depender da espécie e da raça, pode aumentar a taxa de mortalidade", diferenciou.

De acordo com a publicação, mesmo os animais que vivem em galpões, que são ambientes com sombra, enfrentam um calor excessivo, que pode contribuir para ampliar o índice de mortalidade.

Publicidade

Alimentação

Para os animais de produção, Ana Lúcia explica que o correto é não estressá-los em momentos de maior pico de temperatura e deixá-los em repouso. "Se você notar que o animal diminuiu a ingestão de comida, deve tentar compensar isso no momento em que a temperatura diminui, com colocação de novo alimento fresco para incentivar a compensação dos períodos de calor", ensinou.

No caso de cães e gatos, uma alimentação com umidade maior pode ser oferecida. "Apesar de ser muito similar ao que se recomenda para os seres humanos, como diminuir a atividade, a movimentação, isso serve também em relação ao manejo dos animais, manter o fluxo de água limpa e fresca, para que isso estimule o consumo. Serve para eles e para nós também", comentou.

Veja mais: Animais de zoológico recebem frutas, verduras e outros alimentos congelados para aliviar calor, em SP

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.