Logo R7.com
Logo do PlayPlus
RPet
Publicidade

Gratos e fiéis: entenda por que os cachorros vira-lata são os queridinhos dos brasileiros

Especialistas contam ao RPet que esses animais têm mais anticorpos do que os de raça e desenvolvem menos doenças

RPet|André Barbeiro*, do R7


Cachorro sem raça definida
Cachorro sem raça definida

Segundo pesquisas recentes, os vira-latas, também chamados de SRDs (sem raça definida), são os cachorros mais adotados pelos brasileiros.

Para desvendar os motivos dessa paixão nacional, o RPet conversou com Fernando Lopes, adestrador e comportamentalista animal. Ele afirma que esses cães são mais carinhosos e gratos aos seus tutores.

"Eles vivem agradecendo. Todo SRD é mais grato e, por isso, são os cães de preferência nacional. Não é um cachorro que precisa de requinte, só quer ser bem tratado e valorizado. Eles têm uma tendência a ser mais próximos aos tutores e mais fiéis", diz.

Ele conta também que esses cães são "muito mais preparados". "Eles têm até mais anticorpos do que os outros. São cachorros com menor incidência de problemas de pele, de pelo e até mesmo de doenças como gripe e giardíase [infecção do intestino causada por um parasita]."

Publicidade

Compartilhe esta notícia no WhatsApp

Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

Raquel Facuri, diretora de projetos do Instituto Ampara Animal, alerta os tutores. "Ter um SRD não significa deixar os cuidados de lado. Precisa levar ao veterinário anualmente, dar vacinas, vermífugos, alimentar corretamente, incentivá-lo a fazer exercícios físicos e dar muito carinho e atenção."

O ambiente correto para um SRD

Lopes explica que um cachorro SRD não precisa de grandes espaços para viver bem.

Publicidade

"O animal pode ser de porte pequeno, médio ou grande. Eles se adaptam a qualquer lugar. Parece que vêm preparados para isso", conta.

Raquel relativiza a afirmação do colega e afirma que isso depende do animal. "Deve ser avaliado caso a caso."

"Bichos pequenos precisam de menos espaço. Animais grandes devem viver em ambientes maiores. Mas um bicho de porte maior pode viver em um espaço pequeno, desde que tenha uma rotina de exercícios regular", exemplifica.

Qual a nomenclatura correta?

Lopes conta que o termo "vira-lata", usado para apelidar os cães sem raça definida, surgiu por causa de um comportamento antigo desses animais.

"Eles eram cães que não tinham casa e viviam nas ruas. Antigamente, os latões de lixo eram onde eles procuravam alimentos. Daí o apelido."

O adestrador afirma ainda que o termo "sem raça definida" surgiu como uma forma mais elegante de designar esses animais tão queridos. Logo, as duas formas de chamá-los são corretas.

Do que eu preciso para adotar um vira-lata?

Para Lopes, um futuro tutor de vira-lata tem que estar disposto a ter um novo membro em sua família. "A pessoa deve ter muito amor, dedicação, carinho e disposição", diz.

Raquel completa e fala que a pessoa que deseja adotar um SDR, como qualquer outro animal, precisa estar preparada para cuidar dele durante todo o tempo em que ele viver.

Para isso, é importante ter apoio da família, tempo, condições financeiras e espaço em casa.

Também é importante se certificar de que ninguém na família tenha alergia ao pet, uma das principais causas de devolução.

Beijos, roupas, acessórios e mais: 7 coisas que os humanos fazem e os cachorros detestam

*Sob a supervisão de Vivian Masutti

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.