Logo R7.com
Logo do PlayPlus
RPet
Publicidade

Ciumento e protetor? Saiba o que é verdade e o que é mito sobre o golden retriever

'O golden é possessivo. Ele tem você, como ele tem os brinquedos, a cama e o osso dele. Já vem pronto', brinca especialista

RPet|André Barbeiro, do R7*


Golden retriever
Golden retriever

Uma das raças de cachorro mais populares e mais queridas dos brasileiros é o golden retriever. Esses cães são famosos por serem leais, dóceis, carinhosos, brincalhões e ciumentos e amarem água. Mas a pergunta que fica é quais dessas características representam, de fato, esses pets? O RPet entrevistou especialistas que explicam essa questão.

Fernando Lopes, que é comportamentalista e adestrador de cães, explica o comportamento dos golden retrievers e diz que, ao contrário do que se pensa, é uma raça que não sente ciúme. 

· Compartilhe esta notícia no WhatsApp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

"'Ciúme' é uma coisa de humano. Ele tem uma possessão pelo dono. O golden acaba tendo você como dele, do mesmo jeito que ele gosta dos brinquedos dele, da cama dele, do osso dele. É, realmente, uma questão de posse", diz. 

Como a raça surgiu?

A origem da raça se deu a partir de um escocês, da região do rio Tweed, chamado lorde Tweedmouth, em meados de 1800. Ele tinha a necessidade de ter um cão para adentrar a vegetação densa, nadar, pegar a caça e enfrentar águas frias.

Publicidade

Por conta disso, lorde Tweedmouth cruzou Nous, um retriever, com Belle, uma tweed water spaniel. A raça que se formou depois desse cruzamento ficou conhecida, em 1912, como golden retriever.

"O golden não foi programado para ser um cão de companhia. Ele era um cão de caça, que foi manipulado geneticamente para buscar um pato que o caçador acertou, por exemplo", diz Fernando.

Publicidade

Amor pela água

Henrique Perdigão, médico-veterinário e também adestrador, afirma que o amor dos goldens pela água pode ser explicado facilmente se analisarmos a origem da raça. 

"Por ser um cachorro de caça em lugares alagados, para buscar pato, por exemplo; e, também, porque ele sente muito calor. A coisa mais difícil é você fazer um golden ficar em cima de uma caminha. Eles querem o chão gelado", relata. "Isso está nos genes deles", completa Fernando Lopes.

Reinaldo Gottino, apresentador do Balanço Geral e também famoso por gostar de animais, contou ao RPet sobre seu golden, Jonas Cookie, ser louco pela água. "Tivemos até que colocar um cercadinho em volta da piscina para ele não entrar", disse.

'Cãoterapia'

Os especialistas concordam com a ideia de essa ser uma raça muito humanizada, com poucos problemas comportamentais e fácil de lidar. "São uma mistura de carência e energia", define Perdigão, ao explicar que os cães dessa espécie são muito ativos e brincalhões e gostam de gastar bastante energia.

"O golden é um cão que vem tão preparado que costuma não dar muito dinheiro para os adestradores", brinca Fernando. "Por conta da sensibilidade, é muito fácil adestrá-lo para ser um cachorro de terapia assistida", continua.

Fernando diz que gosta dos goldens para "cãoterapias" com crianças com autismo ou síndrome de Down e idosos. "O que ele faz melhora a vida da criança. No caso dos idosos, costumo dizer que funciona como um calmante."

A raça, sempre lembrada por soltar muito pelo, não tem problema com espaço, diz Fernando. "Apesar do porte grande, ele é um cão que se adapta até em um apartamento de 30 metros quadrados." 

Fernando ressalta que os goldens apresentam uma predisposição a doenças no quadril. "É uma das grandes comorbidades que já vêm no pacote da raça. O golden é um dos que mais têm a famosa displasia coxofemoral, que é um problema genético de articulação nos quadris e também nas dianteiras", detalha.

Conheça sete raças de cachorros que foram criadas no Brasil

* Sob supervisão de Thaís Sant'Anna

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.