Logo R7.com
Logo do PlayPlus
RPet
Publicidade

Dia do Adestrador: conheça a profissão e saiba quais são os principais métodos utilizados

Habilidades necessárias são ter paciência e entender que o trato com o animal precisa de constância

RPet|André Barbeiro*, do R7

O adestrador de animais precisa ser uma pessoa paciente
O adestrador de animais precisa ser uma pessoa paciente O adestrador de animais precisa ser uma pessoa paciente

O Dia do Adestrador é celebrado neste domingo (5) e tem o objetivo de reconhecer e homenagear os profissionais que não só treinam os pets, como também lhes proporcionam melhor qualidade de vida.

Especialistas com os quais o RPet conversou destacam o que fazer para se tornar um adestrador, quais os métodos mais utilizados e o que é imprescindível para atuar nesse mercado.

Vinícius Leandro, comportamentalista animal e administrador da página Herói do Pet, explica que o papel de um adestrador se baseia em estabelecer um vínculo com o bicho de forma correta e usando uma comunicação assertiva. "As principais habilidades necessárias são a paciência e entender que precisa de constância", fala.

Ele afirma que os principais métodos utilizados são o adestramento positivista, que consiste em dar um prêmio ao animal quando ele acerta, e o multifuncional, que tem como objetivo "modificar o ambiente e a rotina do animal para mudar seus comportamentos".

Publicidade

"Conseguimos solucionar problemas psicológicos e sociais por meio do manejo correto da indução e da correção pontual. Com isso, resolvemos questões como comportamentos agressivos, compulsivos e autodestrutivos", explica.

Adestrar cães e gatos é a mesma coisa?

Vinicius Leandro diz que as técnicas para adestrar cachorros e felinos são as mesmas. "Não há diferença. Para treinar todos os animais, seguimos a mesma linha de pensamento: o condicionamento por meio do reforço positivo", afirma.

Publicidade

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Fernando Lopes, comportamentalista e adestrador animal, pensa diferente. Para ele, todo profissional deve saber que existe uma diferença entre os pets e que nem sempre os mesmos métodos podem funcionar.

"Os felinos são mais caçadores e têm uma energia diferente da do cão. Para trabalhar com eles, é preciso ter uma sensibilidade maior e conhecer bem aquele universo. Nem todo adestrador de cachorros tem vocação para lidar com gatos", diz.

Para se tornar um adestrador profissional, é necessário procurar um bom curso. "Existe até a facilidade de contar com aulas de reforço na internet e a maioria delas dá certificado", afirma Fernando. Vinicius concorda e acrescenta que a experiência é tão importante quanto o estudo.

VEJA MAIS: Cezar Black, Rachel Sheherazade, Radamés e mais: veja os peões de 'A Fazenda 15' que têm pets

*Sob a supervisão de Vivian Masutti

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.