Logo R7.com
Logo do PlayPlus
RPet
Publicidade

Zootecnista: saiba o que faz, o que estuda e qual a diferença de um médico veterinário

Profissional cuida de áreas como nutrição, bem-estar e melhoramento genético dos animais e pode ganhar R$ 7.920

RPet|André Barbeiro, do R7*

Ibiara Paz, zootecnista e professora da Universidade Estadual Paulista
Ibiara Paz, zootecnista e professora da Universidade Estadual Paulista Ibiara Paz, zootecnista e professora da Universidade Estadual Paulista

Para atender à demanda do mercado e garantir alimentos de qualidade à sociedade, é necessário um profissional adequado.

É aí que os zootecnistas entram e exercem a sua função. Segundo Ibiara Paza, professora da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e especialista da área, sua principal função é garantir que a comida chegue aos consumidores depois de respeitados o animal e o ambiente em que ele vive.

Em entrevista ao RPet, Paloma Machado, que é zootecnista e fundadora do podcast SertãoZOO, define a categoria como "profissão da produção animal".

"Os zootecnistas atuam em fazendas, propriedades rurais, granjas, frigoríficos e centros administrativos para poder produzir alimentos de origem animal."

Publicidade

· Compartilhe esta notícia no Whatsapp

· Compartilhe esta notícia no Telegram

Publicidade

"Desde a parte de gerenciamento, de gestão de propriedades e empreendimentos, de conservação de forragens, de adubação e da implantação de pastagens, passando por formulação de ração, melhoramento genético e reprodução... Tudo isso passa pelo zootecnista. De forma geral, ele é quem gere a propriedade ou o empreendimento para produzir o leite, o mel, a carne, os ovos e também os derivados", continua Machado.

Diferença entre zootecnista e veterinário

A relação entre a zootecnia e a medicina veterinária muitas vezes não é entendida com clareza. Elas são profissões complementares. A diferença está na área de atuação.

Publicidade

"Os zootecnistas trabalham prevenindo as doenças e os veterinários cuidam após a 'coisa' ter se instalado", explica Ibiara Paz, zootecnista e professora da Unesp de Botucatu.

"São profissões que se cruzam, principalmente na parte de manejo de animais de fazenda. O veterinário tem toda a parte de farmacologia, de clínica, de cirurgia, enquanto o zootecnista trabalha pesado em nutrição animal, bem-estar e melhoramento genético. Então, assim como o agrônomo, que trabalha com matéria-prima e pastagem, são três profissões que se completam."

Como é o curso?

Paloma Machado brinca que no curso de zootecnia "se estuda quase tudo". "O bacharelado dura em média cinco anos. São dez semestres com matérias obrigatórias, optativas, estágio e o trabalho de conclusão de curso", conta.

"Para que nós tenhamos sucesso na nossa profissão, que é extrair do animal o que a nossa sociedade deseja e precisa, precisamos estudar o animal, a vida dele", completa Ibiara Paz.

"Estudamos todas as espécies, a produção e nutrição animal, o sistema digestório, a anatomia e a fisiologia. Além de toda a parte de gestão, administração e economia rural", afirma Machado.

"Nós temos ainda uma parte voltada para informática. Ela é necessária para que a gente faça tudo com maior precisão então. É a chamada zootecnia de precisão, em que há automação nas produções para obter resultado em menor tempo com menor mão de obra", complementa Paz.

Quais são as possibilidades no mercado de trabalho?

"Podemos trabalhar em restaurante, centro de reprodutivo, zoológico e até em projetos de administração rural. Há criações de bovinos, ovinos, equinos, caprinos e avicultura de corte e de postura. O profissional atua ainda em toda a parte de bem-estar e de desenvolvimento de produtos que facilitem a vida do homem do campo", cita Ibiara Paz. 

Média salarial

É importante ter em mente que esses profissionais não têm um piso salarial específico para ser seguido. Contudo, a Associação Brasileira dos Zootecnistas indica que deve ser usada como referência a lei 4.950-A, de 1966, que indica a remuneração daqueles que são formados em engenharia, química, arquitetura, agronomia e veterinária.

Basicamente, a legislação diz que profissionais com seis horas ou mais de trabalho diário devem receber, no mínimo, seis vezes o maior salário mínimo vigente. Ou seja, em 2023 isso seria algo próximo a R$ 7.920.

Colômbia quer trocar dependência do petróleo e incentivar o ecoturismo em Casanare

*Sob a supervisão de Thaís Sant'Anna

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.