Tradutores debatem a obra de João Cabral

A força da palavra de João Cabral de Melo Neto e o desafio que ela significa aos tradutores será uma das questões debatidas em lembrança aos 100 anos de nascimento do escritor. O evento Vida Severina, no Memorial da América Latina, começa nesta sexta-feira, 13, com a mesa de debate As Traduções de João Cabral de Melo Neto na América Latina. Entre os debatedores estarão o equatoriano Iván Carvajal Aguirre, o inglês John Milton, o integrante da Academia Brasileira de Letras Antonio Carlos Secchin e a diretora do Centro Brasileiro de Estudos da América Latina (CBEAL), Luciana Latarini Ginezi.

Todos os participantes da mesa são conhecedores da obra de João Cabral, especialistas e tradutores do poeta para os idiomas espanhol e inglês. Antonio Carlos Secchin é considerado o maior especialista na obra do autor. O evento será gratuito, e não pede inscrição prévia de quem quiser participar. A mediação será feita por Luciana Latarini Ginezi, doutora e mestre em Letras pelo Programa de Estudos Linguísticos e Literários em Inglês (USP) e especialista em tradução.

João Cabral desafia tradutores a entendê-lo de forma a representá-lo em seus idiomas sem que sejam feitas adaptações linguísticas livres de suas obras. Manter a voz de João fazendo com que ele seja entendido em outros países requer uma habilidade artística também do tradutor. "É preciso ser um tradutor-poeta, não apenas um tradutor. Tradutores técnicos não funcionam com João Cabral. Trata-se de um dos artistas brasileiros mais difíceis de serem traduzidos", diz Luciana. O debate dos tradutores será o primeiro evento de uma série para homenagear o poeta.

O título Morte e Vida Severina, de sua principal obra escrita em 1955, já é um desafio linguístico. Na tradução do inglês John Milton, professor titular em Estudos da Tradução da Universidade de São Paulo, vira Death end Life of Severino (a "Morte e a Vida de Severino"). "E ela pode ser assim, não está errado", diz o professor doutor Alexandre Barbosa, que será o mestre de cerimônia do encontro. Afinal, qual seria a ideia de uma tradução exata para o que João quis dizer na obra que narra o sofrimento enfrentado pelo personagem Severino, acompanhando a dramática trajetória de um migrante sertanejo em busca de uma vida mais fácil?

A organização informa que o evento é destinado a acadêmicos, alunos de tradução ou línguas e interessados em geral e "propõe discorrer sobre os desafios da tradução de um autor conhecido pelo rigor estético dos seus textos".

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.