Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Mudança de estilo de vida ajuda mulher a controlar crises agressivas de acne em todo o corpo

Durante anos, Mandy Nazé sofreu com espinhas, cistos e abscessos dolorosos e só conseguiu melhorar ao adotar hábitos saudáveis, com dieta, exercícios, uso de cosméticos naturais e sauna

Beleza|Do R7

Mandy Nazé demorou anos para conseguir controlar a doença de pele
Mandy Nazé demorou anos para conseguir controlar a doença de pele Mandy Nazé demorou anos para conseguir controlar a doença de pele

Quem já sofreu com a acne consegue compreender o sofrimento de Mandy Nazé, de 29 anos, que enfrenta anos de luta contra essa inflamação na pele. No caso dela, como a influencer e naturopata conta em seu Instagram, a acne manifestou-se de forma bastante agressiva, inflamando a pele do rosto, pescoço, costas e outras partes do corpo.

Ela tinha apenas 15 anos, em 2007, quando médicos a diagnosticaram com um tipo particularmente severo de acne. Seu rosto, testa, peito, pescoço e costas foram afetados por grandes feridas vermelhas, com pus, o que lhe causava muita dor, além de uma alteração significativa em sua aparência.

Leia também

Naquela época, ela desenvolveu também um cisto na virilha, causado por uma desordem na pele que provoca o aparecimento de abscessos e cicatrizes. Esses cistos dolorosos começaram a aparecer perto de regiões com glândulas sudoríparas, onde existem folículos pilosos, como na virilha, no bumbum, nos seios e nas axilas.

Essa condição extrema afetou não apenas seu físico, mas também seu emocional, e a jovem passou a evitar coisas naturais para sua idade, como relacionamentos afetivos, segundo o tabloide The Mirror

Publicidade

"Essa doença afetou meus relacionamentos porque se tornou difícil para mim lidar com a intimidade. A parte mais difícil de se ter uma doença de pele é sua imprevisibilidade. Você nunca sabe quando vai se manifestar e não dá para ter ideia de quanto tempo irá durar", contou ela ao The Mirror.

"Quando comecei a namorar, a acne teve um profundo impacto nos nossos momentos de intimidade. Algumas vezes era impossível ter contato físico. Eu tinha medo de que meus abscessos, cistos e espinhas poderiam causar nojo no meu parceiro, mesmo sabendo que ele me amava."

Publicidade

Mandy tentou se curar com diversos cremes receitados por médicos e especialistas, mas se negou a tomar um medicamento fortíssimo, que até poderia ajudá-la, porém trazia muitos efeitos colaterais.

Encontrou algum alívio tomando pílula anticoncepcional, que conseguia aliviar os sintomas, mas foi só uma década mais tarde que ela decidiu abrir mão da pílula e tentar uma abordagem mais natural para seu problema.

Publicidade

Logo que ela interrompeu o tratamento hormonal, a acne agressiva e os cistos e abscessos voltaram com força, mas ela, finalmente, começou a controlar a doença fazendo um conjunto de mudanças em seu estilo de vida, como dieta saudável, uso de plantas medicinais, exercícios físicos várias vezes por semana, drenagem linfática, sauna e uso de óleos essenciais e vegetais.

Graças a essa abordagem mais natural e menos invasiva, Mandy viu seu problema reduzir de maneira significativa, e ela conseguiu ficar dois anos sem ter cistos ou abscessos, algo que ela jamais poderia imaginar no passado.

Acabou estudando e aprendendo tanto sobre o assunto que acabou se especializando em doenças de pele. E, hoje, compartilha dicas para controlar a acne com produtos naturais, em seu Instagram, que já tem mais de 25,5 mil seguidores.

Confiança abalada

"Minha autoconfiança ficou muito abalada durante os piores anos da minha acne. Eu precisava encarar o olhar de horror das pessoas quando viam minha pele coberta de feridas e pústulas. Os olhares eram bem julgadores, como se eu estivesse suja", diz ela.

"Às vezes, eu precisava cancelar planos e encontros com os amigos, de última hora, por causa da doença, então acabei ficando sem vida social porque era impossível viver daquele jeito. Por muitos anos, eu não conseguia nem mesmo vestir as roupas que queria, como jeans, porque eram muito justos e me incomodavam", conta ela.

Agora, aos 29 anos, com a doença um pouco mais controlada, Mandy afirma que sua rotina de autocuidado é rigorosa e inclui, além da alimentação saudável, duchas frias, banhos quentes e saunas. Ela também mudou seus cosméticos e maquiagem, optando por produtos à base de plantas.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.