Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Com apenas 1 ano, filho de Arthur Zanetti esbanja talento e fofura ao brincar de ginástica artística

Liam Zanetti adora imitar as mesmas posturas do pai, campeão olímpico em 2012, nos vídeos compartilhados nas redes sociais

Bem Estar|Do R7

Arthur Zanetti ao lado do filho, Liam, de 1 ano e 10 meses
Arthur Zanetti ao lado do filho, Liam, de 1 ano e 10 meses Arthur Zanetti ao lado do filho, Liam, de 1 ano e 10 meses

O filho de Arthur Zanetti, Liam, é uma prova viva de que não existe idade certa para começar a se exercitar. Com apenas 1 ano e 10 meses, o menino já segue os mesmos passos do pai e vem encantando milhares de fãs com suas habilidades dignas de um futuro ginasta.

Nos vídeo compartilhados pelo campeão olímpico nas redes sociais, o pequeno esbanja fofura imitando as posturas do pai no esquadro, nas paralelas e na grandes e favoritas argolas, instrumento que rendeu o ouro a Arthur Zanetti nas Olimpíadas de 2012.

"Ele gosta bastante das argolas, mas gosta mais do pessoal vendo ele. Se tem gente vendo, ele vai estar lá fazendo", conta o atleta em resposta a alguns seguidores.

A desenvoltura do bebê é tão impressionante que levantou questionamentos sobre os eventuais treinos que o ginasta e a mulher, Jéssica, fazem com ele. "Ele não treina, simplesmente brinca. Tudo que tem aqui é brincadeira para ele, e a gente incentiva essa brincadeira. A única aula que ele faz é de natação, mas por segurança", explica aos fãs.

Publicidade

"Nos Estados Unidos, as crianças podem começar na ginástica com 3 anos. Aqui, no Brasil, a maioria dos clubes permite com 5 anos", completa.

Como Liam ainda está abaixo dos 2 anos, o campeão olímpio esclarece que ele não segue nenhum tipo de dieta restrita. O atleta nega, com bom-humor, a informação de que coloca suplemento na mamadeira do filho. "Ele gosta de comer, come bastante coisa. Fruta ainda não muito. Ele tem uma alimentação saudável e come bem, mas nada de suplemento, lógico."

Publicidade

Por fim, Zanetti diz que não obriga o filho a fazer as acrobacias ou seguir a mesma carreira que ele. "Seria ótimo se ele fosse campeão olímpico, ma vamos deixar ele crescer, ter a opinião dele, escolher qual esporte ele quer fazer. Se ele não quiser fazer, tudo bem também. A gente só vai apoiar no que ele quiser", declara.

Assista a alguns vídeos do pequeno prodígio:

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.