Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Brasileiro é preso por tentar matar vice-presidente da Argentina

Flipar

Flipar|Do R7

O brasileiro Fernando Andrés Sabag Montiel foi preso, acusado de tentar matar a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner
O brasileiro Fernando Andrés Sabag Montiel foi preso, acusado de tentar matar a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner O brasileiro Fernando Andrés Sabag Montiel foi preso, acusado de tentar matar a vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner
Imagens mostram o momento em que o criminoso se aproxima de Cristina e aponta a arma em seu rosto. Mas o tiro não sai.
Imagens mostram o momento em que o criminoso se aproxima de Cristina e aponta a arma em seu rosto. Mas o tiro não sai. Imagens mostram o momento em que o criminoso se aproxima de Cristina e aponta a arma em seu rosto. Mas o tiro não sai.
O governo argentino informou que ele tem 35 anos e registro para trabalhar como motorista de aplicativo no país. Mas já tinha sido advertido por porte de faca e tatuagem nazista no corpo.
O governo argentino informou que ele tem 35 anos e registro para trabalhar como motorista de aplicativo no país. Mas já tinha sido advertido por porte de faca e tatuagem nazista no corpo. O governo argentino informou que ele tem 35 anos e registro para trabalhar como motorista de aplicativo no país. Mas já tinha sido advertido por porte de faca e tatuagem nazista no corpo.
O G1 publicou que o atirador é paulista, filho de mãe argentina e pai chileno. E o pai dele teria sido expulso do Brasil em 2021.
O G1 publicou que o atirador é paulista, filho de mãe argentina e pai chileno. E o pai dele teria sido expulso do Brasil em 2021. O G1 publicou que o atirador é paulista, filho de mãe argentina e pai chileno. E o pai dele teria sido expulso do Brasil em 2021.
O jornal La Nación, de Buenos Aires, publicou que ele se identifica nas redes sociais como Fernando Montiel e segue grupos ligados a radicalismo e ódio, como
O jornal La Nación, de Buenos Aires, publicou que ele se identifica nas redes sociais como Fernando Montiel e segue grupos ligados a radicalismo e ódio, como O jornal La Nación, de Buenos Aires, publicou que ele se identifica nas redes sociais como Fernando Montiel e segue grupos ligados a radicalismo e ódio, como
A polícia investiga o que pode ter motivado o atentado. Na foto, a arma usada pelo criminoso.
A polícia investiga o que pode ter motivado o atentado. Na foto, a arma usada pelo criminoso. A polícia investiga o que pode ter motivado o atentado. Na foto, a arma usada pelo criminoso.
Fernando estava junto com um grupo de militantes aglomerados desde a semana passada em frente à casa de Cristina, no bairro da Recoleta. E se aproximou para atirar, mas a arma falhou.
Fernando estava junto com um grupo de militantes aglomerados desde a semana passada em frente à casa de Cristina, no bairro da Recoleta. E se aproximou para atirar, mas a arma falhou. Fernando estava junto com um grupo de militantes aglomerados desde a semana passada em frente à casa de Cristina, no bairro da Recoleta. E se aproximou para atirar, mas a arma falhou.
Os manifestantes apoiadores de Cristina estão fazendo vigília desde a semana passada, quando um procurador federal pediu que ela fosse condenada a 12 anos de prisão por casos de corrupção.
Os manifestantes apoiadores de Cristina estão fazendo vigília desde a semana passada, quando um procurador federal pediu que ela fosse condenada a 12 anos de prisão por casos de corrupção. Os manifestantes apoiadores de Cristina estão fazendo vigília desde a semana passada, quando um procurador federal pediu que ela fosse condenada a 12 anos de prisão por casos de corrupção.
O caso ainda vai ser avaliado por juízes do tribunal argentino, mas causou uma vigília de manifestantes que não querem a condenação da política.
O caso ainda vai ser avaliado por juízes do tribunal argentino, mas causou uma vigília de manifestantes que não querem a condenação da política. O caso ainda vai ser avaliado por juízes do tribunal argentino, mas causou uma vigília de manifestantes que não querem a condenação da política.
Cristina Kirckner foi presidente da Argentina entre 2007 e 2015.
Cristina Kirckner foi presidente da Argentina entre 2007 e 2015. Cristina Kirckner foi presidente da Argentina entre 2007 e 2015.
Antes, ela tinha sido primeira-dama durante a gestão de seu marido, o presidente Nestor Kirchner, entre 2003 e 2007.
Antes, ela tinha sido primeira-dama durante a gestão de seu marido, o presidente Nestor Kirchner, entre 2003 e 2007. Antes, ela tinha sido primeira-dama durante a gestão de seu marido, o presidente Nestor Kirchner, entre 2003 e 2007.
Ela é vice-presidente desde 2019, na gestão do presidente Alberto Fernández (os dois na foto).
Ela é vice-presidente desde 2019, na gestão do presidente Alberto Fernández (os dois na foto). Ela é vice-presidente desde 2019, na gestão do presidente Alberto Fernández (os dois na foto).
Cristina nasceu em 19/2/1953 em La Plata, Buenos Aires, e casou-se com Nestor Kirchner em 1975. Ambos eram colegas de estudos e de militância política.
Cristina nasceu em 19/2/1953 em La Plata, Buenos Aires, e casou-se com Nestor Kirchner em 1975. Ambos eram colegas de estudos e de militância política. Cristina nasceu em 19/2/1953 em La Plata, Buenos Aires, e casou-se com Nestor Kirchner em 1975. Ambos eram colegas de estudos e de militância política.
Ao longo da carreira, antes de chegar ao mais alto posto na Casa Rosada, Cristina foi deputada federal e senadora da República.
Ao longo da carreira, antes de chegar ao mais alto posto na Casa Rosada, Cristina foi deputada federal e senadora da República. Ao longo da carreira, antes de chegar ao mais alto posto na Casa Rosada, Cristina foi deputada federal e senadora da República.
Além do processo de corrupção movido pelo Ministério Público da Argentina, Cristina também é acusada de censura, com tentativas para impedir a liberdade de imprensa.
Além do processo de corrupção movido pelo Ministério Público da Argentina, Cristina também é acusada de censura, com tentativas para impedir a liberdade de imprensa. Além do processo de corrupção movido pelo Ministério Público da Argentina, Cristina também é acusada de censura, com tentativas para impedir a liberdade de imprensa.
Cristina também é acusada de tentar obstruir investigações sobre atentados ocorridos no país, contra a Embaixada de Israel em 1992 e a Associação Beneficente Israelita em 1994. Na foto, protesto contra o atentado à entidade judaica.
Cristina também é acusada de tentar obstruir investigações sobre atentados ocorridos no país, contra a Embaixada de Israel em 1992 e a Associação Beneficente Israelita em 1994. Na foto, protesto contra o atentado à entidade judaica. Cristina também é acusada de tentar obstruir investigações sobre atentados ocorridos no país, contra a Embaixada de Israel em 1992 e a Associação Beneficente Israelita em 1994. Na foto, protesto contra o atentado à entidade judaica.
A Argentina tem uma política marcada por tensão. Além dos atentados mencionados, que deixaram dezenas de mortos, um outro caso de grande repercussão foi o assassinato do promotor federal Alberto Nisman, em 2015. Na foto, protesto pedindo justiça.
A Argentina tem uma política marcada por tensão. Além dos atentados mencionados, que deixaram dezenas de mortos, um outro caso de grande repercussão foi o assassinato do promotor federal Alberto Nisman, em 2015. Na foto, protesto pedindo justiça. A Argentina tem uma política marcada por tensão. Além dos atentados mencionados, que deixaram dezenas de mortos, um outro caso de grande repercussão foi o assassinato do promotor federal Alberto Nisman, em 2015. Na foto, protesto pedindo justiça.
Após a volta da democracia (depois de longo período de ditadura militar), houve tentativa de assassinato de Raúl Alfonsín (1927-2009) nos anos 1980. Colocaram bombas, mas o presidente não apareceu.
Após a volta da democracia (depois de longo período de ditadura militar), houve tentativa de assassinato de Raúl Alfonsín (1927-2009) nos anos 1980. Colocaram bombas, mas o presidente não apareceu. Após a volta da democracia (depois de longo período de ditadura militar), houve tentativa de assassinato de Raúl Alfonsín (1927-2009) nos anos 1980. Colocaram bombas, mas o presidente não apareceu.
A Argentina vive grave crise política e econômica, com a inflação batendo na casa de 70% ao ano e índice de pobreza nunca abaixo de 25%.
A Argentina vive grave crise política e econômica, com a inflação batendo na casa de 70% ao ano e índice de pobreza nunca abaixo de 25%. A Argentina vive grave crise política e econômica, com a inflação batendo na casa de 70% ao ano e índice de pobreza nunca abaixo de 25%.
Agora, mais este caso de atentado lança a Argentina aos olhos do mundo de forma negativa. As investigações estão começando e a polícia espera esclarecer a motivação do criminoso.
Agora, mais este caso de atentado lança a Argentina aos olhos do mundo de forma negativa. As investigações estão começando e a polícia espera esclarecer a motivação do criminoso. Agora, mais este caso de atentado lança a Argentina aos olhos do mundo de forma negativa. As investigações estão começando e a polícia espera esclarecer a motivação do criminoso.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.