Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Como Ser Saudável
Publicidade

Você sabe a diferença entre alongamento e aquecimento?

Como Ser Saudável|Do R7

A prática de atividade física tem aumentado a cada dia. Ainda estamos longe de alcançar um patamar ideal, mas o fato é que o número de praticantes, seja de corrida de rua, seja de treinos em academia, tem crescido. E algo que tem crescido proporcionalmente é o número de pessoas que sofrem lesões. Segundo o doutor Alexandre Guedes, especialista em ortopedia, traumatologia e medicina do esporte, as lesões acontecem porque "muitos não costumam se alongar ou fazer um aquecimento antes de começar o exercício".

Você sabe a diferença entre alongamento e aquecimento?

Qual deve ser feito antes? Qual deve ser feito depois? Os dois devem ocorrer ao mesmo tempo?Primeiro, vamos entender o que é cada um e como fazê-los. Por fim, saberemos quando aplicá-los. 

O aquecimento é um trabalho de preparação do corpo para a execução do exercício físico praticado. São realizados movimentos com o objetivo de aumentar a frequência cardíaca, tirando o corpo do estado de repouso. "O aquecimento permite o aumento da circulação sanguínea (que melhora o suprimento de oxigênio e nutrientes para os tecidos, preparando-os para o esforço físico), a melhora da flexibilidade, a ativação neuromuscular (que estimula os impulsos nervosos para os músculos, tornando-os mais responsivos aos comandos do sistema nervoso central) e a preparação cardiovascular (que aumenta a frequência cardíaca, preparando o coração e os vasos sanguíneos para o aumento da demanda de oxigênio e nutrientes durante a corrida)", explica o doutor Guedes.

Publicidade

Por outro lado, o alongamento é um movimento mais lento, que tem como objetivo promover a elasticidade máxima do músculo. O objetivo, nesse caso, não é acelerar o corpo, mas sim exercitar a musculatura, deixando-a mais elástica. O doutor Guedes nos dá mais detalhes: "Ele promove equilíbrio muscular (já que auxilia no equilíbrio adequado entre grupos musculares), redução da tensão muscular (pois, ao alongar, o corredor pode reduzir a tensão muscular e o acúmulo de resíduos metabólicos, como ácido lático, que podem causar fadiga e aumentar o risco de lesões) e maior consciência corporal (já que o alongamento requer atenção à postura e à técnica, o que aumenta a consciência corporal e ajuda a corrigir desequilíbrios posturais ou mecânicos que podem levar a lesões)".

Agora que já sabemos a diferença entre eles, vamos à outra pergunta: qual o momento correto para realizar cada um?

Publicidade
Dr. Alexandre Guedes
Dr. Alexandre Guedes Dr. Alexandre Guedes

"Apesar de ser uma parte importante de um programa de exercícios, o momento adequado para o alongamento é motivo de debate. A recomendação atual é que o alongamento estático (no qual você mantém uma posição por um período) seja feito após o aquecimento ou após o término da atividade física. Embora o alongamento estático tenha benefícios em termos de flexibilidade, alguns estudos indicam que fazê-lo antes do aquecimento pode diminuir temporariamente a força e o desempenho muscular, o que não é ideal para atividades que exigem potência, como a corrida. Em vez disso, os alongamentos dinâmicos, que envolvem movimentos controlados e repetitivos, são mais apropriados antes da corrida, pois ajudam a aquecer os músculos sem comprometer a força e o poder", explica o ortopedista.

Entenda as diferenças entre os tipos de aquecimento

Publicidade

 Estático: esse tipo requer que se mantenha a posição de estiramento do músculo durante toda a sua realização, por 30 segundos a um minuto, em média. Isso quando realizado com o objetivo de alongar-se, propriamente. Quando realizado após o treino, deve ser feito sempre de forma leve, sem forçar até o limite, para ajudar no relaxamento e na diminuição da frequência cardíaca.

 Dinâmico: nesse tipo de alongamento, são feitas repetições do movimento, em vez de mantê-lo por tempo prolongado. Também podem ser feitos como forma de se aquecer e preparar as articulações que serão exigidas no exercício, aumentando-se a intensidade de forma gradual.

 Passivo: é realizado com o apoio de um fisioterapeuta ou educador físico. Ajuda no ganho de flexibilidade.

Para concluir, o doutor Alexandre Guedes deixa um importante recado: "O que eu sempre procuro reforçar com meus pacientes é que o alongamento após os treinos seja feito de forma mais suave e focada, evitando-se movimentos bruscos ou extremos, especialmente se os músculos ainda estiverem quentes e sensíveis após os exercícios".

Cuide-se, e boa corrida!

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.