Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Como Ser Saudável
Publicidade

Você sabia que existe um tipo de atividade física que protege o cérebro mais do que outras?

Atividades simples, como andar da sala para quarto, cozinhar, subir e descer as escadas interferem na saúde do cérebro

Como Ser Saudável|Do R7

Ao longo do dia, realizamos inúmeras atividades; desde as mais básicas como comer e se movimentar pela casa, até limpar o banheiro ou preparar um jantar para 20 pessoas. Isso sem contar nas atividades exercidas no trabalho e os treinos praticados por aqueles que gostam de exercícios físicos. Mas dizer que essas atividades afetam a memória de curto prazo, a resolução de problemas e até habilidades de processamento, é algo novo.

Um estudo recente, realizado no Reino Unido, anexou monitores de atividade às coxas de quase 4.500 pessoas e rastreu seus movimentos 24 horas por dia durante 7 dias. Os pesquisadores examinaram como o comportamento dos participantes afetou o funcionamento cerebral de cada um. Pessoas que gastaram mesmo pequenas quantidades de tempo em atividades mais vigorosas (coisa de 7, 8 minutos) em comparação com sentar, dormir ou fazer atividades leves, tiveram pontuações cognitivas mais altas.

Atividade física moderada é geralmente definida como caminhada rápida, andar de bicicleta ou subir e descer escadas correndo. Já os movimentos vigorosos, consideramos a dança aeróbica, corrida, natação, aqueles que aumentam a frequência cardíaca e a respiração.

O estudo, publicado no Journal of Epidemiology & Community Health , descobriu que fazer pouco menos de 10 minutos de esforço moderado a vigoroso todos os dias melhorou a memória dos participantes do estudo, mas teve seu maior impacto nos processos executivos, como planejamento e organização.

Publicidade

"A melhora cognitiva foi modesta, mas quanto mais tempo foi gasto fazendo exercícios mais vigorosos, os benefícios cresceram", disse John Mitchell, doutor do Conselho de Pesquisa Médica do Instituto de Esporte, Exercício e Saúde da University College London. Ele acrescenta: “Como não monitoramos a capacidade cognitiva dos participantes ao longo dos anos, isso pode significar simplesmente que os indivíduos que se movimentam mais tendem a ter maior capacidade cognitiva em média”, disse ele. "No entanto, também pode implicar que até mesmo mudanças mínimas em nossas vidas diárias podem ter consequências para nossa cognição".

Embora o estudo tenha algumas limitações, incluindo a falta de conhecimento sobre a saúde dos participantes, suas descobertas ilustram como "o acúmulo de padrões de movimento em um dia, uma semana ou um mês é tão importante - se não mais - do que simplesmente faça uma única sessão de exercícios”, afirma Mitchell.

Então, por mais leve que seja, a prática constante de atividade física está associada à mudanças bastante reais em nossa saúde cognitiva. Bora se exercitar!!!

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.