Logo R7.com
Logo do PlayPlus
Publicidade

O romantismo na trilha para a cachoeira, ou a falta dele

Era pra ser um dia incrível, mas o pretendente esqueceu de perguntar pra nossa Maria se ela curtia aventuras no meio do mato

Maria do Caos|Do R7 e Mônica Simões

E no meio da trilha percebi que meus gritos de pavor eram mais fortes do que a vontade de agradar no primeiro encontro
E no meio da trilha percebi que meus gritos de pavor eram mais fortes do que a vontade de agradar no primeiro encontro E no meio da trilha percebi que meus gritos de pavor eram mais fortes do que a vontade de agradar no primeiro encontro (Divulgação)

E aí, Marias!!!

Quero saber como passaram a última semana sem uma história do Maria do Caos para deixar tudo mais leve... Demos uma pausa, mas já estamos de volta e com tudo! 

Sei que gostaram da história da Maria que tinha o sonho de voar na classe executiva e acabou na salinha da imigração para explicar sobre um potinho de mel. Quantas gargalhadas valeu esse caso? Milhares, né? Eu mesma me imaginei passando por aquela situação, minha cara, inclusive.

Hoje, não será diferente, daremos risadas juntas com um passeio que era pra ser romântico, mas, na verdade, foi bem diferente do que nossa Maria esperava. Afinal, o gatinho era bem aventureiro e quis fazer uma surpresa pra ela, mas esqueceu de perguntar se ela é fã de aventuras.

Publicidade

Já imaginou o estrago?

Vem comigo e leia até o final.

Publicidade

==========

Renato era um rapaz super bonito, inteligente, charmoso. Daquele tipo que só de olhar já nos apaixonamos. Bem, eu me apaixonei. Nos conhecemos em um parque aqui de Curitiba, no Paraná. Ele estava brincando com o cachorro e eu deitada em uma canga, com frutas e pães, fazendo um piquenique. Bob, o cachorro, deve ter sentido o cheiro da comidinha e acabou invadindo meu banquete. Bem, só posso dizer que foi a melhor invasão da minha vida.

Publicidade

Depois daquele momento, conversamos, rimos e o Renato me chamou pra sair. Ele disse que me levaria a um lugar extraordinário e, claro, já imaginei ele chegando, abrindo a porta do carro pra mim, com flores vermelhas e um belo restaurante em seguida.

Bem, sabe aquela velha história de expectativa versus realidade? Foi bem isso que aconteceu. O papo com o Renato foi incrível no parque, ficamos horas conversando e até olhamos as estrelas, ele parecia ser perfeito pra mim. Na hora em que nos despedimos, pediu meu telefone e disse que me ligaria para combinarmos o horário do nosso encontro, que seria no dia seguinte.

Naquela noite, senti que algo especial tinha acontecido. Nunca tinha acontecido uma conexão tão rápida e, ao mesmo tempo, profunda com alguém. Voltei suspirando pra casa e no caminho Renato me ligou. Conversamos mais um pouco e ele me disse:

" - Vá dormir, Maria, amanhã te levarei a um lugar especial, te pego por voltar do meio-dia. Se prepare, vamos ter um dia e tanto!"

Marias, agora pensem comigo, se um homem daquele me chama pra sair, é claro que vou imaginar um lugar romântico, onde os dois estão arrumadinhos e cheirosos.

O dia chegou e eu super ansiosa coloquei a minha melhor roupa. Vesti um vestido e salto alto, me perfumei toda, arrumei meu cabelo, me maquiei e esperei o horário combinado.

Ele me ligou e disse que chegaria em 5 minutos. Bem, Marias, o homem chegou de motoquinha, regatas, shorts e tênis.

O passeio? Era uma trilha até uma cachoeira.

Marias do céu! Eu abri um sorrisinho amarelo e disse para que me esperasse trocar de roupa.

Troquei o vestidinho por uma roupa de ginástica e o salto por um tênis, me olhei profundamente no espelho e prometi pra mim mesma que me permitiria viver aquele dia plenamente.

Subi na motinho e fomos pra aventura. Bem, gente, o que aconteceu após isso foram cenas de pavor e terror. Gritei a cada raiz de árvore enrolada que tive que segurar para subir um morro, cada inseto que chegou perto de mim, cada barulhinho diferente que ouvia... Deixei o Renato quase louco. Ele olhava pra mim e dizia:

" - Maria, foca nos meus olhos e segura minha mão, vamos até o final"

Bom, o que posso dizer é que essa experiência doida terminou em casamento. Demos muita risada quando finalmente consegui terminar a trilha e prometemos nunca mais repetir. Ele continua praticando esportes radicais, mas eu não. E está tudo bem. Somos muito felizes juntos.

Só uma dica, se joguem no novo e vivam cada segundo, se não gostarem, não repitam, porém, vivam a experiência.

==========

Mariasssss, já passaram por algo parecido? 

Acredito que nossa Maria por não esconder quem realmente é acabou conquistando o homem dos sonhos e hoje eles vivem bem e felizes, mesmo com gostos diferentes.

Gosto muito de pessoas autênticas que são o que são e que bom que podemos compartilhar esses momentos aqui, na nossa salinha particular.

E você se tiver uma história muito doida, conta pra mim.

Até a próxima semana!

Um beijo, Marias.

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.