Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Viva a Vida
Publicidade

Vai fazer um cruzeiro? Ex-funcionária de navio dá dicas para não passar perrengue

A influenciadora digital Renata Porto, que trabalhou cinco anos a bordo, ensina como se preparar para a viagem

Viagens|Thaís Sant'Anna, do R7

Renata Porto durante uma das dezenas de viagens de navio
Renata Porto durante uma das dezenas de viagens de navio Renata Porto durante uma das dezenas de viagens de navio

A temporada brasileira de cruzeiros 2023/2024 começou na última quarta-feira (25) e já promete ser a maior e mais longa dos últimos anos. Com 195 dias de duração e com a perspectiva de injetar mais de R$ 5 bilhões na economia nacional, de acordo com estimativas da Associação Brasileira de Navios de Cruzeiros (Clia-Brasil), a expectativa é de que muito mais pessoas escolham passar suas férias no mar.

Para quem está em dúvida se vale a pena ou não investir o dinheiro em uma viagem do tipo, Renata Porto, ex-funcionária de navio, é uma grande incentivadora. Ela, que agora trabalha como influenciadora digital e já viajou para mais de 46 países, acredita que os cruzeiros são uma ótima opção para toda a família.

“Tem entretenimento 24h para todas as idades, e também é para aqueles que querem só relaxar e aproveitar o próprio navio, é como se fosse uma cidade flutuante”, diz ela, em entrevista ao R7.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp

Publicidade

Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp

Compartilhe esta notícia pelo Telegram

Publicidade

Renata trabalhou em cruzeiros por cinco anos e, por isso, conhece exatamente o que é importante saber antes de embarcar, principalmente para quem nunca fez esse tipo de viagem. A começar, pela escolha da cabine. “As que ficam nas extremidades do navio balançam mais, enquanto as que ficam mais no meio e em andares mais baixos balançam menos”, explica.

Segundo ela, uma das principais vantagens são os diversos destinos em “uma tacada só”. “E sem precisar ficar trocando de hotéis e passando por imigrações em cada país”, completa a influenciadora. “Além disso, dentro do navio existem lojas que vendem produtos livres de impostos. Geralmente, eles fazem uma noite especial que os preços ficam ótimos”, ensina.

Publicidade

Internet, bagagem e o que é proibido

Renata lembra aos “viciados” em internet que os dados móveis não funcionam no meio do oceano. “No entanto, é possível comprar o wi-fi do navio. Mas não fique tão empolgado, porque o valor é bem alto [risos]”, alerta.

A influenciadora ainda avisa que, assim como em viagens de avião, não pode levar na bagagem itens que produzem calor, como velas, incenso, cafeteiras, ferros de passar roupas, ou objetos que produzem uma chama aberta. “Fogo é um dos maiores perigos a bordo, por isso, esses itens são proibidos”, diz

Na mala, além dos documentos, como passaporte e vistos, Renata aconselha “roupas confortáveis, de ginástica e de banho para curtir o navio de dia, e mais chiques à noite para festas temáticas”. “Além de casacos para usar nos ambientes fechados, onde costuma fazer muito frio devido ao ar-condicionado. Não esqueça dos óculos escuros, protetor solar, boné, itens de higiene pessoal, adaptador de tomada universal e, claro, remédios para enjoo, caso seja sensível”, finaliza.

VEJA TAMBÉM: Brasil é eleito o melhor país do mundo para praticar ecoturismo, segundo ranking

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.