Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Idoso se declara culpado pelo roubo de sapatos de 'O Mágico de Oz'

Calçados valem mais de R$ 18 milhões; ladrão acreditou que fossem de rubi, mas, na verdade, são feitos de vidro

Cinema|Do R7

Um americano de 76 anos declarou-se culpado nesta sexta-feira (13) de ter roubado, há quase 20 anos, o par de sapatos vermelhos que Judy Garland usou no clássico O Mágico de Oz

Os sapatinhos brilhantes usados pela personagem Dorothy foram roubados em 2005 do Museu Judy Garland, em Grand Rapids, cidade natal da atriz, no estado de Minnesota. O par foi recuperado pelo FBI em 2018, e Terry Martin foi acusado do seu desaparecimento em maio deste ano.

Martin declarou-se culpado da acusação de roubo e aguarda em liberdade a audiência na qual sairá sua sentença, que ainda não tem data marcada, informou o Departamento de Justiça americano em Dakota do Norte.

Em um tribunal de Minnesota, Martin declarou que usou um martelo para quebrar a caixa de acrílico onde estavam os sapatos, que roubou acreditando que fossem feitos de rubis. Quando percebeu que as pedras eram de vidro, tentou vender os famosos sapatinhos no mercado paralelo. 

Publicidade

"Não queria saber deles", disse Martin a um juiz federal em Duluth, segundo o jornal Star Tribune, de Minnesota. Ele não explicou como se desfez dos sapatos, e as condições de seu acordo com a Justiça não foram tornadas públicas.

Os promotores recomendaram que Martin, que chegou ao tribunal em cadeira de rodas e com um cilindro de oxigênio, não cumpra tempo na prisão. 

Publicidade

Os sapatos eram um dos quatro pares que Judy Garland usou no filme de 1939. O Departamento de Justiça os definiu como "um dos objetos mais notórios da história do cinema americano". 

Na época do roubo, os calçados estavam segurados por US$ 1 milhão (cerca de R$ 5 milhões na cotação atual), mas seu valor foi estimado em US$ 3,5 milhões (quase R$ 18 milhões). 

Publicidade

Após sua recuperação, em 2018, eles tiveram a autenticidade confirmada pelo Museu Nacional de História Americana do Instituto Smithsonian, que possui outro dos quatro pares originais. 

Depois do roubo, a polícia de Grand Rapids recebeu numerosas pistas, afirmou o chefe Scott Johnson em 2018. "É mais um dos pares de sapatos", disse Johnson na época. "É um símbolo duradouro do poder de acreditar."

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.