Famosos e TV Bruno Krupp debochou da Lei Seca dias antes de atropelar adolescente

Bruno Krupp debochou da Lei Seca dias antes de atropelar adolescente

Antes do acidente do último fim de semana, o modelo foi parado por policiais em uma blitz

  • Famosos e TV | Do R7

Resumindo a Notícia
  • Bruno Krupp debochou da Lei Seca dias antes do acidente

  • O modelo foi parado em uma blitz e se recusou a soprar o bafômetro

  • Ele foi multado por não ter habilitação e pilotar uma moto sem placa

  • Três dias depois, Krupp matou o adolescente João Gabriel atropelado

Bruno Krupp debochou da Lei Seca antes do acidente

Bruno Krupp debochou da Lei Seca antes do acidente

Reprodução/Instagram

Bruno Krupp, que matou o adolescente João Gabriel atropelado no último fim de semana, debochou da blitz da Lei Seca. O R7 obteve vídeos publicados pelo modelo no Instagram três dias antes do acidente. Nas publicações, ele mostra que foi parado pela polícia e zomba da situação. "Hoje eu me fod*", escreveu na rede social.

"Na moral, mano, eu amo lei seca. Eu amo, amo. Vamos ver qual vai ser o desenrolar da melhor forma. Demorou? Estamos juntos, dos dois lados da pista. Vem, amor, vem brincar", disse Krupp nos vídeos que publicou no Stories.

Na blitz, o modelo se recusou a soprar o bafômetro. Ele foi multado por estar pilotando uma moto sem placa nem habilitação.

Veja abaixo o vídeo em que Bruno Krupp debocha da Lei Seca:

Em um comunicado, o Detran afirmou que Bruno Krupp não chegou a concluir o processo para tirar habilitação de moto, tendo finalizado apenas a parte teórica. "Ele ainda terá de cumprir a carga horária exigida de aulas práticas. Somente após a conclusão das aulas práticas, ele poderá realizar o exame de direção, necessário para a obtenção da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Portanto, ele não é habilitado", declarou o órgão público.

O acidente

Bruno Fernandes Moreira Krupp atropelou um jovem de 16 anos, João Gabriel Cardim Guimarães, na noite de 30 de julho, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, por volta das 22h50.

O modelo conduzia uma moto a 120 km/h na avenida Lúcio Costa, 2.916, onde a velocidade máxima permitida é de 60 km/h. Segundo os agentes da polícia que atenderam à ocorrência, o veículo estava sem placa e Bruno não tem carteira de habilitação.

A vítima estava acompanhada da mãe, Mariana Cardim, e, no momento do acidente, teve uma perna amputada – ela foi arremessada a 50 metros de distância, devido ao impacto da batida. Testemunhas chegaram a colocar a perna do menino no gelo, para que fosse reimplantada em possível cirurgia.

João Gabriel foi socorrido com vida, mas morreu ao dar entrada no Hospital Municipal Lourenço Jorge.

Bruno foi levado para o mesmo hospital da vítima, mas foi transferido no dia seguinte, 31 de julho, para o Hospital Marcos Moraes, no Méier, zona norte do Rio.

Segundo o advogado do influenciador, William Pena, o jovem estava atravessando a via fora da faixa de pedestres e teria ameaçado voltar. Pena alega que Bruno se assustou e relatou uma falha nos freios da moto.

No dia 3 de agosto, o modelo teve sua prisão preventiva decretada pela juíza Maria Izabel Pena Piranti e foi submetido a uma cirurgia de reposição de pele para tratar os hematomas do acidente. Pouco antes da cirurgia, ele gravou um vídeo e se disse arrependido. "Gente, pelo amor de Deus, eu sou a última pessoa que queria que isso tivesse acontecido. Pode ter certeza que eu queria que o pior tivesse acontecido comigo. Eu fui levado de ambulância, eu fui transferido de hospital, eu não fugi do hospital, não fugi dos médicos."

Últimas