Famosos e TV Bruno Krupp, que matou adolescente, não tem habilitação e não realizou prova prática de moto

Bruno Krupp, que matou adolescente, não tem habilitação e não realizou prova prática de moto

Ao contrário do que alega a defesa do modelo, ele passou apenas no exame teórico para tirar a carteira de habilitação

  • Famosos e TV | Do R7

Resumindo a Notícia
  • Bruno Krupp não tem habilitação para pilotar motos

  • O modelo matou um adolescente por atropelamento

  • Ele nem chegou a realizar as aulas práticas no Detran

  • Krupp foi preso e responde por homicídio com dolo eventual

Reprodução/Instagram

Bruno Krupp, preso após atropelar e matar o adolescente João Gabriel, não tem carteira de habilitação para pilotar motos. Na última quarta-feira (3), William Pena, advogado do modelo, disse que o cliente já era habilitado, mas não havia retirado o documento ainda. Em comunicado enviado ao R7, o Detran afirma que o jovem nem sequer realizou as provas práticas de moto.

O modelo está no processo parar tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) para motos. Ele concluiu apenas a parte teórica do processo e, se quiser tirar a habilitação, terá que cumprir a carga horária de horas práticas e em seguida realizar o exame de direção. A autorização para pilotar será emitida somente depois de passar no exame.

No último domingo (31), Bruno Krupp pilotava uma moto em alta velocidade. Ele estava a 150 km/h em uma via em que o limite máximo é de 60 km/h. O modelo atropelou e matou o adolescente João Gabriel, que estava acompanhado da mãe no momento do acidente.

A vítima foi socorrida e levada ao hospital, mas não resistiu. Bruno também sofreu ferimentos e está internado em um hospital no Méier, zona norte do Rio de Janeiro, onde foi preso preventivamente. Ele responde por homicídio com dolo eventual, quando se assume o risco de matar.

A defesa de Bruno Krupp argumenta que a moto sofreu uma pane no momento do acidente, por isso o modelo não teria conseguido frear. "O que ele me disse antes de entrar na cirurgia hoje foi que a moto deu uma pane no freio, e ele perdeu o controle. Ele se assustou com o rapaz voltando da travessia", disse o advogado em entrevista ao Balanço Geral RJ.

William Pena também detalhou o estado de saúde do cliente após o acidente. "Por enquanto não tem previsão de alta. Ele está na sala de cirurgia; acredito que em uma semana, depois da fisioterapia, vai poder voltar a andar. A operação foi para colocação de anel, porque a vértebra estava rachada, e para reparação de pele. Como ele raspou no asfalto, ficou sem as nádegas, parte do joelho, braço. Ele está com as duas mãos enfaixadas, ele não se move."

Últimas