Logo R7.com
Logo do PlayPlus
R7 Entretenimento – Música, famosos, TV, cinema, séries e mais
Publicidade

Humorista Juliano Gaspar nega acusação de violência doméstica: 'A gente vive um sonho'

A alemã Lea Maria Jahn, mulher do comediante, diz ter sido agredida pelo marido durante uma discussão

Famosos e TV|Do R7

Juliano Gaspar nega ter agredido a mulher
Juliano Gaspar nega ter agredido a mulher Juliano Gaspar nega ter agredido a mulher

O humorista Juliano Gaspar publicou um vídeo na noite desta sexta-feira (10) para negar as acusações de violência doméstica. Ele foi acusado pela mulher, a também comediante de Lea Maria Jahn, de agredi-la durante uma discussão. No pronunciamento, o artista diz que gostaria de ter contato com a alemã e cogita que terceiros estejam por trás das denúncias.

"Foi talvez a pior semana da minha vida. O mundo caiu em cima da minha cabeça. Hoje sou o vilão do Brasil. É triste porque sempre foi eu e a Lea contra o mundo, foi algo que a gente sempre falou e hoje estou sozinho", começou ele.

Juliano falou que ele e a comediante alemã estão juntos há sete anos e que "discussões acabam acontecendo", principalmente porque eles moram e trabalham juntos. O humorista falou que a briga mais recente, que aconteceu no último dia 2, foi motivada por um assunto profissional, pois divergiram de opinião sobre uma pessoa que trabalha com eles.

Ele falou que não gosta de ficar em casa quando discute com a mulher e teria tentado sair de casa no momento da briga, mas ela teria tentando impedi-lo. "Nesse dia 2, ela não queria me deixar sair. Ela fechou a porta, me trancou em casa e arrancou a minha camisa fora, porque a hora que consegui sair pela porta ela puxou a minha camisa. Isso ela diz no B.O., isso é a parte verdadeira porque nem tudo no B.O. é verdade", disse.

Publicidade

O humorista disse cogitar que a mulher tenha sido induzida a fazer as denúncias contra ele. Juliano argumentou que eles ficaram mais alguns dias juntos após a discussão e ele foi para um hotel no dia 4 de fevereiro, pois supostamente queria dar mais espaço para Lea. Quando voltou, ela não estava mais em casa. Desde então, os dois não têm mais contato.

Ele falou que a história da suposta violência doméstica começou como um boato de uma pessoa que trabalha com eles e que ganhou uma proporção muito grande. O comediante também diz que foi expulso dos grupos de trabalho e não tem mais acesso ao e-mail profissional, que agora está sob os cuidados da pessoa que motivou a discussão entre ele e Lea.

Publicidade

"Vou até o fim para entender o que está acontecendo com a minha esposa. Se ela quiser o divórcio, não tem problema. Já falei que de forma amigável e pacífica dou o que ela quiser. Mas preciso entender o que ela quer, porque blindaram ela de uma forma terrível, como se tivesse um relacionamento terrível e a gente vive um sonho", falou.

"A única coisa que queria é que a Lea aparecesse. Ela foi tirada de mim, foi afastada de mim como se eu fosse um terrorista psicológico. Ela sabe que eu não sou nenhum abusador, ela sabe de tudo isso. Isso com certeza não foi ideia dela. Não quero nem me defender, não quero falar nada contra ela, porque sei que não é isso que a gente quer. Estamos há sete anos juntos, viajamos o mundo, nunca teve agressão no nosso relacionamento e não faz sentido tudo acabar. Apareceu um pedido de divórcio urgentíssimo, que é muito suspeito. Ela não pode ter contato com ninguém, o celular dela durante vários dias não ficou com ela", completou.

Publicidade

Juliano também reforçou que não agrediu Lea. Ele disse não saber como a mulher machucou o punho, mas afirmou que os dois foram juntos ao médico para fazer exames quando viram que o braço dela estava começando a ficar roxo. "Não houve agressão. Não sei se ela machucou o pulso dela tentando me puxar pela camisa, porque ela botou o pé e me puxou pela camisa a hora que eu estava na escada, foi de repente na porta", falou.

"Sinto que sou um protetor da Lea porque desde que a gente chegou no Brasil, quando a gente era mochileiro, vivemos nas piores condições possíveis. A gente não tinha dinheiro, não tinha fama e teve que dormir em quarto de amigo. Sempre foi um local zoado e tinha que proteger ela. Sinto agora que não estou podendo proteger ela porque vi que tem acusações falsas na polícia. Acho que ela não tem nem noção do que está acontecendo. Ela não desmentiu mentiras absurdas", concluiu Juliano Gaspar.

Assista abaixo ao vídeo do humorista:

O caso

A humorista Lea Maria Jahn acusa o marido, o também humorista Juliano Gaspar, de violência doméstica.

"Eu sou mais uma vítima de violência doméstica. Física e psicológica", escreveu ela em publicação nas redes sociais.

Nas imagens, a comediante alemã, que mora no Brasil, aparece com o braço imobilizado: "Eu venho aqui falar com vocês porque tenho recebido muitas mensagens. Não gostaria que isso virasse público, mas tomou uma proporção que eu não esperava. Eu estou passando por um momento muito difícil e delicado".

O R7 entrou em contato com Cristiano Medina da Rocha, advogado de Lea, e o profissional confirmou que a lesão no braço da humorista teria sido causada por uma agressão de Juliano. Segundo ele, um boletim de ocorrência foi aberto por Lea no último dia 3 de fevereiro.

O advogado também revelou que os trâmites para oficializar o divórcio do casal já estão em andamento.

Cristiano conta ainda que Juliano estaria tentando contato insistentemente com Lea, pessoalmente e por meio de terceiros. "Fez contato inclusive com psicóloga e psiquiatra [de Lea], interferindo no trabalho delas", explicou o advogado.

Brenda Paixão puxa lista de famosas com relacionamentos que viraram caso de polícia

Últimas

Utilizamos cookies e tecnologia para aprimorar sua experiência de navegação de acordo com oAviso de Privacidade.