Famosos e TV Novas drogas incentivam o aumento do consumo na pandemia

Novas drogas incentivam o aumento do consumo na pandemia

Fugir da realidade, se tornar mais seguro ou ser aceito pelos amigos? Programa Fala Que Eu Te Escuto analisou os motivos que levam uma pessoa a se viciar

  • Famosos e TV | Ana Carolina Cury Do R7

Por curiosidade, para se sentir aceito, para tentar vencer a insegurança. Esses são apenas alguns motivos que podem levar as pessoas a querer experimentar uma droga. E esse cenário tem piorado. Segundo o último relatório divulgado pelo UNODC, escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime, nos últimos anos, mais de mil substâncias surgiram no mercado das drogas. E esse aumento representa um grande desafio para as autoridades.

Drogas sintéticas: novas substâncias e aumento do consumo na pandemia

Drogas sintéticas: novas substâncias e aumento do consumo na pandemia

DEA

Por isso, o programa Fala Que Eu Te Escuto desta sexta-feira  (11) abordou o tema e buscou entender quais são os reais motivos que levam às pessoas a se viciarem. Para o jovem Yaco Medeiros, o início se dá por uma necessidade de aceitação. “Normalmente, o indivíduo começa a usar por causa de uma amizade, um incentivo. Eu, por exemplo, sofri 15 anos com os vícios, principalmente na cocaína e, na maioria das vezes que consumi drogas, o fiz com amigos”.

A influenciadora Thalita Imparato revelou que já perdeu alguns amigos por conta do vício. “Os jovens buscam ser aceitos. Depois, a pessoa acha que consegue fugir da realidade, dos problemas, por meio do uso. Quatro amigos meus tiveram overdose e não resistiram”.

Influência da pandemia

A psicóloga Daniela Pereira ressaltou no programa que o consumo de drogas se intensificou ainda mais na pandemia. “Alguns estudos já mostram isso. As pessoas estão sofrendo muito neste período. Com o isolamento e com a perda de entes queridos mais pessoas estão buscando fugir da realidade”. E ela tem razão. Um dos mais completos levantamentos anuais online sobre o uso de drogas no mundo, o Global Drug Survey, destacou que o consumo de álcool no Brasil aumentou 41% durante a pandemia de covid-19.

O Ministério da Saúde também divulgou recentemente que os hospitais credenciados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) tiveram um aumento de 54% em 2020 no atendimento de dependentes químicos em comparação com 2019.
 

Como vencer?

Normalmente, a situação só é percebida quando já está no limite. “Muitos vivem em um lar extremamente desestruturado e, além de isso ser um motivador para o uso de drogas, também é um dificultador para identificar que aquela pessoa precisa de ajuda”, lembrou a conselheira tutelar, Flaviane Gonçalves. Assim, a família percebe o problema quando a dependência já está instalada e as atitudes do dependente estão sendo nocivas para ele e os mais próximos.

Por isso, o apresentador, Bispo Eduardo Bravo, afirmou que o primeiro passo para sair dessa condição é reconhecer que se precisa de ajuda. “Recebemos aqui comentários de muitas pessoas que são usuárias e querem vencer o vício. Uma pessoa pode ter a vida transformada sim, e sair dessa situação. Nós fazemos um trabalho para auxiliar quem quer mudar de vida e se libertar da dependência. Tome uma decisão! Procure uma Universal, nós podemos ajudar você”, conclui.

O programa Fala Que Eu Te Escuto é exibido de terça a sábado pela Record TV, a partir de 00h45. Quem se encontra em outros países pode assistir pela Record Internacional ou pelo Facebook.

Últimas