Rafinha e Cauê se posicionam sobre PC Siqueira após denúncias

Influenciadores digitais se pronunciaram sobre o amigo nas redes sociais e excluíram todo o conteúdo do canal Ilha de Barbados, que faziam juntos

Ilha de Barbados continua com conteúdo indisponível

Ilha de Barbados continua com conteúdo indisponível

Reprodução

Após PC Siqueira ter sido alvo de acusações de pedofilia por meio do perfil de Twitter Exposed Emo, o canal do YouTube Ilha de Barbados teve todo o conteúdo removido.

O projeto, que era tocado em parceria entre PC, Cauê Moura e Rafinha Bastos tem um milhão de seguidores e era um dos mais populares do YouTube brasileiro na categoria entretenimento.

Desde o começo de sexta-feira (12), os vídeos gravados pelo trio estão indisponíveis. 

No sábado (13), Rafinha gravou um vídeo de esclarecimento para informar os seguidores. "O objetivo da ação é preservar os profissionais envolvidos com o canal e que em nada tem a ver com as acusações sobre PC Siqueira. Uma frase descontextualizada das milhares de horas de conteúdo pode virar uma arma na mão de pessoas mal-intencionadas. Essa manobra é muito comum no ambiente virtual e nenhum de nós merece ter o nome ligado ao que está acontecendo”, diz a mensagem.

Ex-amigo de PC Siqueira diz não ver razões para acreditar no youtuber

Simultaneamente a essa decisão, Cauê e Rafinha resolveram se pronunciar sobre o caso. O posicionamento de Cauê aconteceu depois que o canal de Erlan Bastos divulgou supostos áudios nos quais PC confessaria recebimento da imagem de uma menor de idade. Esse material surgiu horas depois do youtuber alegar que as acusações eram falsas.

PC Siqueira foi acusado de pedofilia por perfil de Twitter

PC Siqueira foi acusado de pedofilia por perfil de Twitter

Reprodução/Instagram

Cauê comentou que preferiu ficar em silêncio até que o benefício da dúvida fosse esgotado. "Assim como vocês, tomei conhecimento do caso PC por meio das redes sociais. Fiquei completamente chocado. Mantive o silêncio até agora, mas o benefício da dúvida se esgotou. Que todos os envolvidos sejam submetidos à lei. Que essa criança seja salva com urgência. No momento, eu e Rafinha não vemos sentido em seguir com as atividades do Ilha de Barbados. Estamos perplexos e decepcionados", escreveu.

Rafinha, que se posicionou antes, disse que estava apenas evitando um linchamento sem ter a certeza do que aconteceu. "Fui pego de supresa por essa história do PC. Não tivemos contato nos últimos dias. Eu e o Cauê estamos esperando ele se pronunciar. Só o PC sabe da veracidade disso. É muito pesado. Tô quieto porque não sei a real e não quero contribuir pra que ele faça uma merda com a própria vida", escreveu ainda antes da manifestação de PC e da divulgação dos áudios. Depois disso, ele apenas retwittou o post de Cauê Moura.

Em defesa, PC comentou que o conteúdo era forjado em posta feito na noite do dia 11. "Se formos prestar atenção nesse vídeo asqueroso, ele leva 1 minuto e 31 segundos para o relógio do celular mudar! Nem esse cuidado os falsificadores tiveram. Além disso, o símbolo de verificação tem um espaçamento diferente do verdadeiro. Está tudo ali, para quem quiser ver. A operadora da suposta linha do vídeo é pré-paga dos Estados Unidos. O celular é um Samsung e está gravando a tela de um iPhone. Enfim, são muitas evidências que demonstram a falsificação mal feita. A mais importante delas é que não sou eu", escreveu o youtuber. PC ainda não se manifestou sobre os áudios atribuídos a ele.