Famosos e TV Velório do cartunista Paulo Caruso está marcado para este domingo (5) em São Paulo

Velório do cartunista Paulo Caruso está marcado para este domingo (5) em São Paulo

Velório será aberto ao público das 11h às 17h; enterro está marcado para segunda e será restrito aos familiares e amigos

  • Famosos e TV | Sophia Camargo, do R7

Resumindo a Notícia
  • O cartunista Paulo Caruso faleceu em decorrência de um câncer, aos 73 anos.

  • Formado em arquitetura pela USP, ele atuava como caricaturista, ilustrador, chargista e músico.

  • Era irmão gêmeo do também cartunista Chico Caruso.

  • Velório será aberto ao público das 11h às 17h; enterro será amanhã, no Cemitério São Paulo.

O cartunista Paulo Caruso
O cartunista Paulo Caruso Reprodução/Instagram

O cartunista Paulo Caruso, que faleceu no sábado (4), aos 73 anos, no Hospital Nove de Julho, em decorrência de um câncer, será velado neste domingo (5) em São Paulo.

O cerimonial de despedida será aberto ao público das 11h às 17h, na Funeral Home (rua São Carlos do Pinhal, 376, São Paulo).

Segundo Anderson Delmondes, consultor da funerária Ossel, responsável pela organização do cerimonial, a família pediu duas horas para as homenagens finais — das 10h às 11h e das 17h às 18h deste domingo. 

O sepultamento está marcado para as 11h da segunda-feira (6), no Cemitério São Paulo, e será reservado a familiares e amigos.

Paulo era irmão gêmeo do também cartunista Chico Caruso

Os gêmeos cartunistas Paulo e Chico Caruso

Os gêmeos cartunistas Paulo e Chico Caruso

Reprodução/Facebook Chico Caruso

Nascido em 6 de dezembro de 1949, o caricaturista, ilustrador, chargista e músico Paulo José Hespanha Caruso cursou arquitetura na Universidade de São Paulo (USP) no início dos anos 1970, mas não exerceu a profissão.

Paulo Caruso era irmão gêmeo do também cartunista Chico Caruso. Paulo era o irmão mais velho, nascido cinco minutos antes de Chico.

Paulo Caruso colaborou em O Pasquim ao lado de nomes consagrados, como os cartunistas Jaguar (1932), Millôr Fernandes (1923-2012), Ziraldo (1932) e Henfil (1944-1988).

Também atuou em várias publicações especializadas em humor e quadrinhos, como Chiclete com Banana, Geraldão e Pasquim 21, reedição do jornal, fechado no início da década de 1990. Também se dedicou à produção de espetáculos musicais e teatrais.

Em 1985, no Salão de Humor de Piracicaba, no interior de São Paulo, uniu a paixão pela música ao amor pelos cartuns e montou uma banda só com cartunistas.

Vida profissional

Atualmente publicava charges na revista Época e no programa de entrevistas Roda Viva, da TV Cultura. Tinha também um trabalho com histórias em quadrinhos e tocava na banda Conjunto Nacional.

Ao longo da carreira, trabalhou para as principais revistas de São Paulo, entre elas Veja, IstoÉ e Senhor, e para os jornais Diário Popular e Folha de S.Paulo.

Em 2004, lançou o livro São Paulo por Paulo Caruso — Um Olhar Bem-Humorado sobre Esta Cidade, em homenagem aos 450 anos da metrópole, no qual tratava do cotidiano paulistano, caricaturando tipos humanos e representando edifícios e vistas panorâmicas da cidade.

O artista recebeu vários prêmios, entre eles o de melhor desenhista, pela APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte), em 1994.

Últimas