Música 'Estou aqui, mas com o olho lá no futuro', diz Claudia Leitte sobre novo single

'Estou aqui, mas com o olho lá no futuro', diz Claudia Leitte sobre novo single

Cantora lançou a música 'De Passagem' para abrir as comemorações dos 20 anos de carreira

Agência Estado - Variedades
Claudia Leitte acaba de lançar 'De Passagem' para celebrar os 20 anos de carreira

Claudia Leitte acaba de lançar 'De Passagem' para celebrar os 20 anos de carreira

Reprodução/Instagram

Claudia Leitte abre as comemorações dos 20 anos de carreira com o lançamento da música De Passagem. A cantora explicou, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, que escolheu o single para abrir as celebrações porque a letra da música fala da "despretensão em conseguir alguma coisa através disso, mas da pretensão de viver esses momentos [...] que são muito especiais ao longo dos 20 anos".

Mesmo com a incerteza do amanhã, Claudia disse que ainda tem esperança nele. "Eu vim do futuro para comunicar à galera que tem mais 20 anos aí. Muita música, muito Carnaval. É pra ter esperança mesmo", contou, aos risos, enquanto Bela, sua filha, tentava participar da conversa.

"Eu agradeço muito pelos 20 anos, pela minha história, e celebrar, apesar de todos os contratempos e infortúnios que estamos vivendo, pra mim é fundamental. O nome de toda essa trajetória é 'Celebra - CLBRA', e eu pretendo continuar com uma turnê pra celebrar, assim que tudo estiver mais claro pra todo mundo", completou.

A celebração dos 20 anos vai ser repleta de música, com singles que serão lançados ao longo do ano, e a comemoração será fechada com chave de ouro, com um álbum. "Tudo está muito conectado, estou contando uma história falando do passado, mas trazendo uma mensagem, com De Passagem, de que estou aqui, mas com o olho lá no futuro", explicou.

A mensagem principal para essa fase da carreira de Claudia é: "Olha nos meus olhos! Eu estou trazendo uma mensagem porque eu consigo enxergar algo muito bom, onde somos muito felizes e tem Carnaval".

Com uma letra voltada para a positividade, deixando toda a "negatividade de lado", a música traz a energia que muitas pessoas buscam nesses últimos tempos, e ainda tem a participação de Bela, a filha de 2 anos da cantora. Claudinha revelou que a participação da pequena não foi de caso pensado, porque, na verdade, "ela entrou no estúdio e cantava".

"Eu coloquei o fone pra ela ouvir, e ficou encantadíssima, não queria sair de lá de jeito nenhum. Ela ficava cantarolando, e canta o dia inteiro. No final, consegui fazer um registro da voz dela, pra não perder esse momento", disse.

Sobre inserir a voz da filha na música, Claudia Leitte disse que ficou em dúvida, porque estava preocupada com a questão de "trazer ela para o ambiente da música pra fazer feat". E revelou: "Aos 45 do segundo tempo, eu mandei o áudio para o produtor, e todo mundo comemorou. Foi muito espantoso que ela fez isso por ela, naturalmente, e eu não tive nenhum trabalho. Só registrei o que estava acontecendo e dei graças a Deus por ter feito isso".

'Uma viagem dentro de mim'

Ficar tanto tempo sem subir aos palcos foi algo inédito para Claudinha, que sempre viveu com uma agenda de shows lotada, mas ela contou que esse período foi um momento de autoconhecimento, e não de ser algo egocêntrico, mas "uma viagem dentro de mim".

"Nessa pandemia, foi o tempo dos meus filhos mesmo! Antes eu levava eles comigo pra todos os lugares, e dessa vez éramos só nós, e eu estava realmente trazendo tudo que vivia lá fora pra dentro de casa. Foi necessário organizar tudo dentro e fora de mim, estabelecer uma rotina. Foi complicado, mas um tempo muito rico", disse.

Embora esse período tenha sido bom para Claudia Leitte, a saudade dos palcos e do Carnaval está dominando o coração da cantora. "Esse tempo também foi muito difícil pra mim, que sou uma cantora de Carnaval, e geralmente o ano começa depois do Carnaval, e de repente não tem show, não sai de casa, mas eu preciso de gente para criar, e digo, dos meus fãs, das minhas pessoas", contou, em meio a risadas, reflexões e um olhar repleto de saudade.

Olhando para trás

E se, lá atrás, contassem a Claudia Leitte que ela conquistaria tantos corações no Brasil? Ela revela, no mesmo instante, que acreditaria. Não por se achar a melhor cantora do país, mas porque sempre acreditou que tudo iria dar certo, e que foi muito melhor do que havia desejado e esperado.

"Eu tive meus momentos ao longo desses 20 anos. Muitas coisas foram desfeitas, mas tenho certeza de que isso seria muito claro para mim. Diria que ia além do meu objetivo, ia chegar onde eu tinha que chegar de qualquer jeito", comentou ela sobre o que diria à Claudia do começo.

Com muito carinho no olhar pela sua própria trajetória, Claudia Leitte contou que o principal objetivo sempre foi "subir no palco e cantar", e hoje ela explica que tem um pensamento diferente. "Eu não tenho a vocação de cantora porque eu tenho uma natureza exibicionista. Não tenho essa natureza porque eu sou cantora, mas tudo em mim me leva para o palco", diz, em meio a risadas.

'É no palco que a mágica acontece'

Sem subir aos palcos com tanta frequência, ela revela que, se tem uma coisa de que está com saudade, é dos shows e de cantar aos seus fãs. "Estou sentindo muita falta do palco, de modo que eu não sei explicar e expressar", diz. "De alguma maneira, todos nós estamos passando por esse momento conturbado. E, pra mim, é tudo complicado, e eu tiro de letra porque eu sou uma mulher arretada, forte, e eu vou, mas foi bem difícil ficar sem meu palco. Eu canto pra gente, eu gosto de gente, meu prazer é gente", afirmou a artista.

A cantora ainda explicou que o foco nunca foi "fazer dinheiro e ficar famosa", mas que para ela "é no palco que a mágica acontece, porque é para as pessoas". E acrescentou: "Tudo em mim foi feito pra cantar pro outro, pra fazer por alguém, e não por mim mesma".

Sobre retornar ao palco no fim do ano passado, mesmo que para shows pontuais, Claudia explicou como se sentiu: "Foi engraçado que, ao subir ali [no palco], eu fui sentindo e pensando pela primeira vez que 'pode ser a última vez', e dá um certo pavor, não foi muito legal de sentir".

"Por mais que tenhamos que viver como se fosse o último dia, a gente não vive pensando que é, de fato, o último dia. Senão fica baixo-astral na vida, e é algo que precisa de muito equilíbrio", contou a cantora, em uma breve reflexão sobre o momento atual. O foco, no momento, está na música, e ela segue apegada a produzir para comemorar os 20 anos da carreira.

Últimas