Música Henrique Casttro, compositor de 'Liberdade Provisória', vira cantor

Henrique Casttro, compositor de 'Liberdade Provisória', vira cantor

Após se consagrar como um dos maiores autores sertanejos do momento, o músico do Tocantins se prepara para brilhar também nos palcos

Henrique Casttro com a dupla Henrique e Juliano

Henrique Casttro com a dupla Henrique e Juliano

Divulgação

Compositor de Liberdade Provisória (Henrique e Juliano), Henrique Casttro agora vai arriscar a carreira como cantor.

O músico tocantinense é uma das apostas do escritório Workshow para 2020. O convite surgiu após ele se consagrar como um dos autores mais requisitados do sertanejo atual, com músicas como Propaganda (Jorge e Mateus), Na Cama Que Eu Paguei (Zé Neto e Cristiano), Sonhei Que Tava Me Cansando (Wesley Safadão), Aham (Lucas Lucco) e Namorada Reserva (Hugo e Guilherme).

Nessa nova fase, Henrique tem como primeira música de trabalho Tá Sofrendo Porque Quer, uma parceria com Henrique e Juliano. O clipe da faixa estreou no Youtube na última sexta-feira (6). Em clima intimista, o trio solta a voz e passa para o público mais uma história repleta de sofrência.

Mas engana-se quem pensa que a parceria é uma retribuição da dupla pela liberação de Liberdade Provisória, um dos maiores sucessos da carreira dos irmãos. Foi exatamente o contrário.

Segundo Henrique Casttro, a música do disco dele foi gravada até antes. "Eu que retribuí a parceria deles por terem gravado comigo e cedi Liberdade Provisória logo depois. Só que, como a música deu muito certo, eu segurei um pouco o lançamento do meu próprio projeto para não divulgarmos os dois singles ao mesmo tempo", explica.

Além dessa música, Henrique gravou outras quatro faixas que ele classifica como "muito desejadas por outros artistas". "Eu nunca tive apego com as minhas composições, mas essas eu resolvi guardar para o meu trabalho e só soltar no momento certo", comenta.

A carreira de cantor de Henrique coroa 12 anos de altos e baixos que o músico viveu em Goiânia. Ele chegou à capital do sertanejo em 2008 com apenas R$ 30 no bolso. Se desse errado, voltaria para Guaraí, no Tocantins, e abandonaria o sonho de ser famoso. Como foi dando certo, ele ficou. "Sempre falo que chegar onde cheguei é fácil, difícil é chegar onde cheguei vindo de onde eu vim. Mas foi rolando. Já são 120 músicas gravadas, uma situação confortável para ajudar minha família", comenta.

Mas apesar desse momento em que investe na parte artística, Henrique não pretende largar a composição. "Ainda sou bastante requisitado. Então pretendo levar meus parceiros de composição para as turnês, porque criar é algo diário, que encaro como um trabalho mesmo. Em situação normal, eu passo dez, 12 horas criando. Às vezes sai uma música por dia", garante.

Últimas