Música Milton Nascimento vai processar candidata por uso 'ilegal' de música

Milton Nascimento vai processar candidata por uso 'ilegal' de música

Cantor afirma que Maria Lúcia Cardoso (MDB), que concorre em Pitangui (MG), violou a lei de direitos autorais ao incluir 'Maria, Maria' em campanha eleitoral

  • Música | Ricardo Pedro Cruz, do R7

Cantor afirma que vai processar candidata a prefeita por uso ilegal de música

Cantor afirma que vai processar candidata a prefeita por uso ilegal de música

Reprodução/Instagram

Milton Nascimento decidiu processar Maria Lúcia Cardoso (MDB), candidata a prefeita de Pitangui, Minas Gerais, por suposta violação de direitos autorais da canção Maria, Maria durante a campanha eleitoral 2020. Em comunicado, ele classificou o uso da obra como "manobra nojenta e vergonhosa." 

De acordo com o artista, a política teria violado a Lei 9.610/98 quando incluiu e difundiu trechos ou reproduções integrais da música escrita em parceria com o compositor Fernando Brant.

"A candidata usou sem a necessária autorização prévia por parte de seus autores. É com extrema indignação que viemos por meio deste comunicado denunciar e repudiar esse ato de violação", diz o texto. 

O cantor afirma, ainda, que seus advogados já estão preparando a documentação necessária para questionar o uso da canção na Justiça. "Já estão sendo tomadas medidas processuais cabíveis para que a candidata possa responder judicialmente sobre esse ato, já que se negou a resolver amigavelmente essa questão." 

Por fim, Milton faz um alerta para que asa pessoas fiquem "cada vez mais atentos" com as ações de políticos que buscam um cargo público. "Neste caso, Maria Lúcia Cardoso, antes mesmo de possivelmente ser eleita, já infringiu gravemente uma lei federal que visa proteger as criações intelectuais e seus autores. Imagine, então, do que ela seria capaz depois de tomar posse", finaliza. 

Maria, Maria, composição de Milton Nascimento e Fernando Brant, lançada em 1978, foi a música mais tocada do artista nos últimos cinco anos nos principais segmentos de execução pública.

Segundo o Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição), responsável pela arrecadação e a distribuição dos direitos autorais aos seus autores, a canção também lidera a lista de gravações. 

Procurada pela reportagem do R7, a candidata Maria Lúcia Cardoso (MDB) não retornou o contato até a publicação desta matéria. O espaço para que ela possa apresentar seu posicionamento sobre as acusações permanece aberto.

Últimas