Rolling Stones lançam música inspirados pela pandemia

Canção foi escrita por Mick Jagger e Keith Richard, a parceria mais longeva do rock, e se chama 'Living In a Ghost Town'

Rolling Stones: a maior banda do mundo em atividade

Rolling Stones: a maior banda do mundo em atividade

Divulgação

Há um clima de Rolling Stones no ar mais uma vez, em uma dessas ressurreições que eles promovem de si mesmos de tempos em tempos.

Quando a tela dos computadores apareceu dividida em quatro no recente One Word - Together at Home, muita gente postou que não conseguiu segurar as lágrimas. Aquilo foi mesmo forte. Mick Jagger ao violão, cantando no cantinho da sala de sua casa, depois Keith Richards sentado em uma espécie de escritório luxuoso e aconchegante procurando as notas ao violão, para então aparecer Ronnie Wood, o sempre efusivo Ronnie, pedindo que as pessoas acompanhassem trechos com palmas, e Charlie Watts, gaiato, simulando a bateria pré gravada sobre malas de viagem tipicamente inglesas que não deverão ter outra utilidade nos próximos meses.

Eles cantaram You Can't Always Get What You Want de dentro de suas casas em um dos raros momentos de se amar um negócio chamado quarentena.

Agora, sob juras e promessas de jornalistas protocoladas em cartório de que nada seria vazado antes das 13h01 desta quinta-feira, 23, os Stones divulgam uma nova música. Ela foi escrita por Jagger e Richard, a parceria mais longeva do rock, se chama Living In a Ghost Town e vem, apesar de ter sido feita há um ano, do mesmo espírito confinado de onde saiu a participação em One World. A música sai com um clipe, que está disponível na página da banda no YouTube (assista abaixo).

No texto que a gravadora Universal enviou junto com a canção, cada Stone escreve algo. Mick Jagger, que gravou violão, gaita e guitarra, fala de onde a canção saiu: "Então, os Stones estavam no estúdio gravando algum material novo antes do bloqueio (causado pela pandemia) e houve uma música que achamos que ressoaria bem nos tempos em que estamos vivendo agora. Nós trabalhamos nisso em isolamento e aqui está ela."

Keith Richard, como sempre, foi menos polido: "Gravamos essa faixa há mais de um ano em Los Angeles para fazer parte de um novo álbum, uma coisa em andamento, e então a merda toda atingiu os fãs. Então, Mick e eu decidimos que este era o momento de lançá-la e aqui está. Fiquem seguros." Charlie Watts foi mais... Charlie Watts: "Gostei de trabalhar nessa faixa. Eu acho que ela capta um clima e espero que as pessoas que a aceitem." E Ron Wood, o sempre efusivo Ronnie, completou: "Muito obrigado por todas as suas mensagens nas últimas semanas, significa muito para nós saber que vocês curtem a música. Ela é um pouco assustadora e se chama 'Vivendo em uma cidade fantasma'."

A música tem a aura típica que a banda carrega desde Voodoo Lounge, de 1994. Um jeito especial de pegar um rock cru, domesticá-lo com alguns arranjos comportados e soltá-lo de novo para o ataque das guitarras de Ronnie e Richard. "Eu sou um fantasma", diz a letra, "vivendo em uma cidade fantasma." A banda de apoio, além do baixo de Darryl Jones, o quinto Stone desde a saída de Bill Wyman, em 1993, tem um piano marcante de Matt Clifford, que toca também sax, trompa e flugelhorn. As sessões de gravação do material novo da banda devem ser retomadas assim que o mundo se tornar um lugar mais seguro.