Música Sam Lay, ícone do blues de Chicago (EUA), morre aos 86 anos

Sam Lay, ícone do blues de Chicago (EUA), morre aos 86 anos

Músico morreu de causas naturais em uma clínica perto de casa, no sábado (29), informou a gravadora independente Alligator Records

Reuters - Entretenimento

Alligator Records/Divulgação via REUTERS

O baterista e vocalista de blues de Chicago Sam Lay, que tocou e gravou com Muddy Waters, Howlin' Wolf e Bob Dylan, morreu aos 86 anos.

Lay morreu de causas naturais em uma clínica de enfermagem perto de casa em Chicago, no sábado (29), informou a gravadora independente de blues Alligator Records em seu site na segunda-feira (31).

"Uma era acabou", disse Corky Spiegel, amigo de longa data e colega de banda de Lay, em entrevista à Reuters. "Ele apenas lhe fazia voar, ele lhe sugava para dentro da música. Sam não era sobre groove ou tempo, ele ia aonde quer que a música fosse."

Conhecido por sua elegante capa e bengala, Lay foi introduzido no Rock & Roll Hall of Fame em 2015 como parte do grupo Paul Butterfield Blues Band. Ele tocou em dezenas de faixas para a Chess Records.

Depois que Lay foi homenageado por sua música em 2002, a Alligator Records disse que Dylan lhe enviou um telegrama dizendo: "É tão merecido. Walter, Wolf e Muddy, eles também devem saber —que você é inigualável— sua musicalidade impecável e seu 'timing', insuperável, um maestro com baquetas e pincéis."

Nativo de Birmingham, Alabama, Lay tocou profissionalmente pela primeira vez em Cleveland em meados da década de 1950, antes de tocar com Little Walter em Chicago, de acordo com a Alligator Records.

O blues de Chicago se desenvolveu na cidade de Illinois em um estilo urbano a partir de estilos anteriores, como o Delta blues.

Lay tocou bateria para Howlin' Wolf em canções que incluíam Killing Floor, The Red Rooster e 300 Pounds of Joy. Em 1969, ele tocou bateria em Fathers & Sons, o disco mais vendido de Waters na Chess Records.

O baterista deixa sua filha Debbie, quatro netos e três bisnetos.

Últimas