Música Sambista Nelson Sargento morre aos 96 anos no Rio de Janeiro

Sambista Nelson Sargento morre aos 96 anos no Rio de Janeiro

O músico estava internado desde o dia 20 de maio no Instituto Nacional do Câncer, onde foi diagnosticado com covid-19

  • Música | Do R7

Nelson Sargento tinha 96 anos de idade

Nelson Sargento tinha 96 anos de idade

Reprodução/Instagram Nelson Sargento

Nelson Sargento, presidente de honra da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, morreu às 10h45 desta quinta-feira (27), no hospital INCA (Instituto Nacional do Câncer), no Rio de Janeiro. O músico estava internado desde quinta-feira passada (20), quando foi diagnosticado com covid-19. A informação sobre o falecimento do artista foi confirmada pela assessoria de imprensa do hospital.

"O Instituto Nacional de Câncer (INCA) informa que o paciente Nelson Mattos, 96 anos, faleceu na manhã desta quinta-feira (27). Nelson Mattos deu entrada no hospital, no último dia 20, com quadro de desidratação, anorexia e significativa queda do estado geral. Ao chegar na unidade, foi realizado o teste de covid-19, que apontou positivo. O paciente estava aos cuidados do INCA na Unidade de Terapia Intensiva desde o último sábado (22). Apesar de todos os esforços terapêuticos utilizados, o óbito ocorreu as 10:45 minutos dessa sexta-feira, 27 de maio de 2021. Nelson Mattos era paciente do INCA desde 2005 quando foi diagnosticado e tratado câncer de próstata", disse o comunicado.

A equipe de comunicação de Sargento lamentou a morte nas redes sociais. "A família e a equipe de Nelson comunicam, com pesar e tristeza, o falecimento do mestre, baluarte e Presidente de honra da Mangueira, Nelson Sargento ocorrido hoje, às 10h45, no hospital do Inca - Unidade Cruz Vermelha, no Rio de Janeiro, por complicações da covid 19", escreveu.

A Estação Primeira de Mangueira homenageou e agradeceu o artista pelos anos que passou ao lado da escola. "Com grande pesar informamos que nosso presidente de honra, Nelson Sargento, nos deixou essa manhã. Sua partida deixará saudades em todos os amantes do samba e da cultura brasileira. A semente plantada por ele rendeu frutos que estarão eternizados junto à certeza de que “O samba agoniza, mas não morre” jamais. Vai amigo Nelson, com seu jeito fino e elegante, se juntar a Cartola, Nelson, Jamelão e outros bambas, fazer uma roda de samba e olhar por nós. A Estação Primeira de Mangueira agradece por tudo. Nossos sentimentos a todos os amigos e familiares", lamentou.

O sambista, que era considerado uma das principais vozes do samba, já havia tomado as duas doses da vacina contra o novo coronavírus em fevereiro deste ano. Ele se tratava na unidade de saúde desde 2005, quando foi diagnosticado com câncer de próstata, já tratado.

O artista deixa mulher, Evonete Belisario Mattos, e seis filhos, netos e bisnetos.

Vida e carreira

Nelson Mattos, mais conhecido como Nelson Sargento, nasceu no dia 25 de julho de 1924, na Santa Casa da Misericórdia, na Praça 15, no Rio de Janeiro.

Sua primeira conexão com o samba aconteceu ainda na adolescência, quando morava no morro do Salgueiro. Na época ele entregava roupas lavadas para sua mãe e começou a desfilar e tocar tamborim na escola de samba Azul e Branco.

Ainda na juventude, o artista passou a despontar para a música. Em 1955 compôs o samba-enredo Primavera, também chamado de As Quatro Estações do Ano, ao lado de Alfredo Português para a Mangueira. Até hoje, a música é considerada a mais lida de todos os tempos por muito apaixonados por samba.

Grande torcedor do Vasco da Gama, Nelson integrou o conjunto A Voz do Morro, ao lado de Paulinho da Viola, Zé Kéti, Elton Medeiros, Jair do Cavaquinho, José da Cruz e Anescarzinho. Entre seus parceiros de composição musical, estão Cartola, Carlos Cachaça, Darcy da Mangueira, João de Aquino, Pedro Amorim, Daniel Gonzaga e Rô Fonseca.

Últimas