Tribunal marroquino condena rapper à prisão por insultos à polícia

RABAT (Reuters) - Um tribunal marroquino sentenciou nesta segunda-feira um astro do Rap a um ano de prisão e ao pagamento de uma multa de 1 mil dirhams (pouco mais de 100 dólares) por insultos à polícia em um caso que provocou alertas de grupos de direitos humanos sobre a liberdade de expressão no reino norte-africano. 

Mohamed Mounir, conhecido com Gnawi, foi preso no dia 1º de novembro e confessou o uso de xingamentos contra a polícia em uma transmissão ao vivo em uma rede social uma semana antes, dizendo que ele estava embriagado. Ele ainda pode recorrer à sentença. 

Mounir disse ao juiz que fez a transmissão ao vivo pois sentiu que foi "maltratado pela polícia" mais cedo naquele mesmo dia, quando ele foi parado e seus documentos foram verificados. 

"Esse julgamento nada tem a ver com liberdade de expressão. Esse é um assunto do código penal", disse o advogado da polícia Abdelfattah Yatribi.

Entretanto, o advogado de Mounir, Mohamed Sadkou, disse que as autoridades podem ter ido atrás do rapper por conta de uma música gravada por ele e outros dois cantores que parecia criticar o rei. 

Os advogados de Mounir disseram que ele deveria ter sido julgado sob um conjunto separado de leis que dizem respeito à imprensa e a publicações e que não permitem a prisão. Entretanto, a promotoria rejeitou o argumento dizendo que Mounir não era nem jornalista e nem publisher.

(Reportagem de Ahmed Eljechtimi)