Estante da Vivi Heróis dos Andes: livro traz o que filme sobre jovens que viraram canibais para sobreviver não conta

Heróis dos Andes: livro traz o que filme sobre jovens que viraram canibais para sobreviver não conta

Desastre de avião dos anos 1970 volta a ficar em destaque com estreia de produção que deve concorrer ao Oscar

  • Estante da Vivi | Vivian Masutti, do R7

Capa do livro 'A Sociedade da Neve' (R$ 114,90; 416 págs.), da Companhia das Letras

Capa do livro 'A Sociedade da Neve' (R$ 114,90; 416 págs.), da Companhia das Letras

Divulgação

Apontada por muitos como a maior história de sobrevivência de todos os tempos, a inacreditável saga dos jogadores de rúgbi que saíram vivos de um acidente de avião nos Andes e esperaram 72 dias para serem resgatados volta a ficar em evidência agora, com a estreia do filme A Sociedade da Neve na Netflix. 

Essa é a versão contada pelo jornalista Pablo Vierci, famosa por ser a mais completa e que deu origem a essa nova adaptação para os cinemas — forte concorrente ao Oscar deste ano, após ser ovacionada no Festival de Veneza.

Vierci é da mesma geração dos 16 jovens sobreviventes e tem uma amizade de décadas com Nando Parrado, o responsável pela salvação do grupo, ao caminhar por 60 quilômetros nas montanhas, ao longo de dez dias, em uma missão perigosa e sem volta, em busca de ajuda.

Clique aqui e receba as notícias do R7 no seu WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo WhatsApp
Compartilhe esta notícia pelo Telegram
Assine a newsletter R7 em Ponto

Passados anos conversando, gravando e escrevendo reportagens sobre o tema, o autor começou a rascunhar o livro, de 2008, que alterna os capítulos narrados pelos sobreviventes em primeira pessoa com um relato geral dos fatos em tempo passado.

Obviamente está presente ali, em detalhes, a maneira como eles conseguiram se manter vivos: comendo a carne dos amigos mortos. Primeiro com extremo pudor, mas depois naturalizando a prática até os ossos, não sem muito sofrer. 

Pablo Vierci (à dir.), autor do livro 'A Sociedade da Neve', no local do acidente nos Andes, com o diretor J.A. Bayona

Pablo Vierci (à dir.), autor do livro 'A Sociedade da Neve', no local do acidente nos Andes, com o diretor J.A. Bayona

Divulgação

O que salta aos olhos, porém, e muito mais profundo do que o sensacionalismo sanguinolento, é o pacto de solidariedade firmado entre os sobreviventes, o que fez com que os que iam morrendo após o acidente fossem dando, um a um, a permissão para que os outros comessem seus órgãos e continuassem lutando pela vida.

As quase duas horas e meia de filme não dão conta de abordar algumas tramas interessantes que ficam em segundo plano no livro, como a incrível sorte daqueles que escaparam de embarcar por um triz.

Uma delas é a de Tito Regules, integrante do time de rúgbi que não acordou, após uma noitada em um cassino, e perdeu o voo. Ele só morreu 20 anos depois, ironicamente ao dormir no volante e bater o carro.

Ao não chegar a tempo de decolar, Tito automaticamente cedeu seu assento a Graziela Mariani, que preferiu adiantar seu voo, rumo ao casamento da filha, para economizar tempo e dinheiro. Ela morreu na primeira noite após a queda.

Nessa série de ironias macrabras do destino, dois dos 16 sobreviventes embarcaram por pouco: Eduardo Strauch, que esqueceu o passaporte e chegou minutos antes da decolagem, e Daniel Fernández, que quase não conseguiu comprar a passagem por falta de dinheiro e acabou pegando um empréstimo com a irmã.

Ficaram de fora do filme também informações sobre o que aconteceu após o resgate, quando os jovens que sobreviveram visitaram familiares dos mortos para levar cartas de despedida e objetos pessoais de valor sentimental.

No Brasil, a Companhia das Letras lançou, em 2023, uma edição comemorativa dos 50 anos do acidente. Os R$ 114,50 são salgados, mas o ebook, por R$ 29,90, é bem mais acessível. Impresso ou virtual, o livro vale cada página.

VEJA MAIS: Sem esperança de sobreviventes, Nepal lamenta as vítimas de queda de avião

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas