Flavio Ricco Competições esportivas não têm mais grandes coberturas. Tudo joga contra

Competições esportivas não têm mais grandes coberturas. Tudo joga contra

Altos custos e desinteresse impedem a realização de coberturas mais abrangentes

Nem a seleção brasileira, muito mais "estrangeira", tem a mesma cobertura e atenção de antes

Nem a seleção brasileira, muito mais "estrangeira", tem a mesma cobertura e atenção de antes

Reprodução: Lance

Muito se reclama que as rádios e TVs não acompanham mais os clubes em jogos fora, nem por aqui mesmo, e muito menos nas competições internacionais. Vale dizer que até a seleção brasileira deixou de receber a atenção que já teve.

Tudo bem que hoje a imagem chega de qualquer lugar, limpa, sem ruído, e não é mais como antes, quando verdadeiras operações de guerra eram necessárias para se realizar qualquer transmissão.

O que deixou de existir, e isso em todos os esportes, é uma maior cobertura “in loco”, mais abrangente, responsável por enriquecer todo e qualquer trabalho jornalístico. O estar na hora certa, no lugar certo.

Se de um lado, as dificuldades ficaram muito maiores, entre custos de direitos e deslocamentos, um certo comodismo também passou a tomar conta. E não há nada melhor, para qualquer grande veículo, do que estar ao lado da notícia.

No caso do futebol, em especial, as absurdas medidas tomadas também jogam violentamente contra. Por exemplo, tem uma última da Conmebol, que acaba de autorizar jogos da Libertadores em um estádio a mais de 4 mil metros de altitude na Bolívia. Algo tão completamente desigual quanto desumano para quem será obrigado a ir e atuar e trabalhar lá. Aí é que fica impossível mesmo. 

Custo da brincadeira

E não falam que não há nada que tá ruim, que não possa ficar pior? Pois é de se imaginar a próxima Copa do Mundo, em 2026, nos Estados Unidos, Canadá e México.

Serão 44 equipes, 104 jogos em 16 estádios diferentes. Vai começar em 11 de junho e terminar em 19 de julho.

Quem vai encarar?

Fica meio impossível calcular com exatidão quanto vai custar a transmissão desta próxima Copa do Mundo, entre direitos, todo o operacional, passagens, hospedagens, deslocamentos, etc.

Parece um exercício de exclusão. No nosso quintal, por exemplo, a Globo, que é a Globo, já comprou, mas não com exclusividade. E já se fala em um trabalho muito mais enxuto.

Insistência

Ontem, começo da noite, o que mais se ouviu, viu e leu é que o “futebol do Brasil está fora das Olimpíadas”.Não diga! De quantas?

Que se saiba, após derrota de ontem, da Olimpíada de Paris. Que será uma só. Ou dos Jogos Olímpicos de Paris.

Sinal verde

O “Vai que Cola”, um dos humorísticos que ainda resiste às forças contrárias, teve as gravações de mais uma nova temporada autorizadas para agosto.

A princípio, o seu elenco continuará sendo o mesmo.

Paulo Vieira, programa na Globo

Paulo Vieira, programa na Globo

Maurício Fidalgo

A propósito

Há bem poucos dias, por aqui mesmo, foi colocado que é só uma questão de tempo para Paulo Vieira ter um programa dele na Globo. Faz por merecer.

E isso poderá começar já a partir de “Pablo e Luisão”, a série dele, que vai entrar em gravações com direção do Luís Felipe Sá.

E agora

Com o fim do Carnaval e do trabalho que ele foi fazer em Salvador, é de se esperar a volta de Zeca Camargo ao “Melhor da Noite”, da Band. Nada mais natural.

No entanto, até para o bem do programa, que é diário, entende-se que a participação de Rodrigo Alvarez continue existindo ao lado dele, Zeca e da Glenda.

Cabe mais um

Rodrigo Alvarez é um jornalista experiente e versátil, que trabalhou muitos anos fora, como correspondente internacional.

Neste período da ausência do Zeca, ele deu conta do recado e poderá continuar sendo bem importante para o “Melhor da Noite”. A não ser que a Band tenha outros planos.

A propósito

Ainda em se tratando de Band, já há tempos, Reinaldo Azevedo é a maior audiência da BandNews TV. O “É da Coisa”, diário, com a sua pontuação, destoa de todo restante da grade.

E o que intriga muita gente lá dentro: por que não é aproveitado no jornalismo da TV aberta?

Tem data

Dia desses, aqui mesmo, foi colocado que a segunda temporada de “Rensga Hits!”, inteiramente pronta, ainda não tinha data para estrear.

Já tem. Será em agosto no Globoplay.

Juliana Paes está se despedindo de "Renascer"

Juliana Paes está se despedindo de "Renascer"

Fábio Rocha

Responsa

Jacutinga, na “Renascer” do Benedito Ruy Barbosa, em sua primeira versão, foi interpretada por ninguém menos que Fernanda Montenegro.

Agora, no remake de Bruno Luperi, a personagem foi destinada a Juliana Paes.

Posto isso

É muito bom ver o trabalho da Juliana, que está sabendo colocar na personagem a sua própria assinatura e buscando fazer a Jacutinga do jeito dela. Na medida, sem exageros ou caricatura.

Um novo acerto na sua já longa carreira.

Despedida 

Porém, as últimas cenas da Jacutinga no remake de “Renascer” serão exibidas no próximo dia 16.

No tocante ao lado atriz, mais um grande trabalho da Juliana, que também já havia brilhado em “Pantanal”.

Vale a pena

Denise Saraceni, diretora de núcleo à época, elogiou a volta de “Cheias de Charme”, produção de 2012, ao Vale a Pena Ver de Novo. “Uma novela linda, realizada por uma equipe maravilhosa...”, declarou Saraceni, que trabalhou mais de 40 anos na Globo e foi demitida em 2021.

Quanto ao filme sobre as Empreguetes, de novo andaram falando que vai sair. Tá virando novela.

Bate – Rebate

• A cantora Ana Cañas começa a se despedir do repertório de Belchior, que a acompanha desde o isolamento provocado pela pandemia...

• ... Comemorando essa nova fase, ela se apresentará dia 10 de março, às 20h, no Tokio Marine Hall.

• A quem interessar possa, o “Programa de Todos os Programas” voltará a ser apresentado em 6 de março...

• ... E já possui uma lista extensa de convidados bem interessantes.

• As TVs que se preparem: o futebol que já tinha os cartões amarelo e vermelho, agora vai ter azul...

• ... Daqui a pouco, nos uniformes dos árbitros, não vai ter mais bolso para tanto cartão...

• ... Além do que será mais uma coisa para o VAR intervir e parar o jogo por tanto tempo.

• O “Balanço Geral”, no Distrito Federal, com apresentação de Henrique Chaves, também é sucesso em audiência...

• ... Pesquisa recente aponta que ele tem 89% de fidelidade do telespectador.

• Rede TV!, para a cobertura do Carnaval, mandou quase todo seu pessoal de ônibus de São Paulo para o Rio...

• ... Leão Lobo também estava nessa, mas na última hora arrumaram lugar num voo.

• A notícia triste de ontem foi a morte de Antonio Aguillar, que teve uma história bem importante no rádio e na televisão. No sábado, faleceu Roberto Oliveira, jornalista esportivo.

Os textos aqui publicados não refletem necessariamente a opinião do Grupo Record.

Últimas